Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto – 27 de janeiro de 2009

“Recordamos, hoje, os milhões de vítimas do nazismo – quase um terço do povo judeu e de inúmeros membros de outras minorias – que sofreram atos atrozes de discriminação, com privações, crueldade e assassinatos. As novas iniciativas em memória do Holocausto que tem por objetivo educar a opinião pública nos deram motivos justificados para ter esperança.” Leia mensagem de Ban Ki-moon, Secretário-Geral das Nações Unidas.

Ban Ki-moon, Secretário-Geral das Nações Unidas

Recordamos, hoje, os milhões de vítimas do nazismo – quase um terço do povo judeu e de inúmeros membros de outras minorias – que sofreram atos atrozes de discriminação, com privações, crueldade e assassinatos.

As novas iniciativas em memória do Holocausto que tem por objetivo educar a opinião pública nos deram motivos justificados para ter esperança. Essa esperança é o tema da comemoração deste ano. Mas podemos e devemos fazer mais, se quisermos que essa esperança se torne realidade.

Devemos continuar analisando as razões por que o mundo não impediu o Holocausto e outras atrocidades perpetradas desde então. Dessa forma, estaremos mais preparados para derrotar o anti-semitismo e outras formas de intolerância.

Devemos continuar ensinando às nossas crianças as lições dos capítulos mais sombrios da História. Isso irá ajudá-las a agir melhor do que os seus ancestrais, construindo um mundo baseado na coexistência pacífica.

Devemos combater a negação dos fatos e erguer nossas vozes contra o fanatismo e o ódio.

E devemos defender as normas e as leis que as Nações Unidas instituíram para proteger os seres humanos e combater a impunidade dos responsáveis por genocídio, crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Nosso mundo continua sofrendo com a violência implacável, com o desrespeito absoluto pelos direitos humanos e com a agressão a pessoas inocentes, por serem, simplesmente, quem são.

Neste quarto Dia Internacional, recordemos as vítimas do Holocausto, reafirmando a nossa fé na dignidade e igualdade de direitos de todos os membros da família humana. E comprometamo-nos a trabalhar em conjunto para transformar a esperança de hoje no mundo melhor de amanhã.


Comente

comentários