Dia Internacional de Alerta as Minas Terrestres e Assistência à Desminagem – 4 de abril de 2009

“Visitei inúmeros países que enfrentam o flagelo das minas terrestres. Comprovei a devastação causada por estas armas de efeitos indiscriminados, que impedem a reconstrução, agridem o meio ambiente e continuam mutilando e matando dezenas de anos depois dos conflitos terem terminado.” Mensagem de Ban Ki-moon, Secretário-Geral das Nações Unidas.

Ban Ki-moon, Secretário-Geral das Nações Unidas

Visitei inúmeros países que enfrentam o flagelo das minas terrestres. Comprovei a devastação causada por estas armas de efeitos indiscriminados, que impedem a reconstrução, agridem o meio ambiente e continuam mutilando e matando dezenas de anos depois dos conflitos terem terminado. A situação pode variar, conforme aconteceu no Iraque ou no Sudão, no Líbano ou no Zimbábue, no Afeganistão ou na República Democrática do Congo. O que não muda, porém, é a ameaça à vida e à integridade física das pessoas.

Em condições perigosas, os agentes da ação antiminas arriscam sua vida para retirar as bombas de terras e estradas. Ao longo das duas últimas décadas, a assistência das Nações Unidas à desminagem abrangeu mais de 50 países e territórios. Recentemente, os especialistas no assunto das Nações Unidas fizeram parte dos primeiros grupos internacionais a retomarem as atividades humanitárias em Gaza, onde os resíduos explosivos de guerra constituem uma ameaça significativa.

Além da desativação de minas, a ação cria um ambiente seguro para os civis, reforça as capacidades do local e trabalha para restabelecer a dignidade aos sobreviventes, por meio da criação de empregos e de outros programas de reintegração.

Lutar contra as minas significa também aderir aos instrumentos jurídicos pertinentes, como, por exemplo, a Convenção sobre a Proibição da Utilização, Armazenagem, Produção e Transferência de Minas Anti-pessoais e sobre a sua Destruição, o Protocolo V sobre os Restos Explosivos de Guerra e a recém adotada Convenção sobre as Munições de Fragmentação.

A Segunda Conferência de Exame da Convenção sobre a Proibição das Minas Anti-pessoais, que terá lugar no final do ano em Cartagena (Colômbia), constitui uma oportunidade para renovarmos nosso compromisso a favor da Convenção e da luta contra as minas em todo o mundo.

Tenho a fervorosa esperança de ver, um dia, o mundo livre da ameaça das minas e dos resíduos explosivos de guerra. Mas, para isso, será necessário um enorme esforço coletivo e concertado, em todas as frentes. Neste Dia Internacional, renovemos nosso compromisso de levar a cabo esta tarefa que salva tantas vidas.