Dia Internacional da Paz 2013: Educação é vital para fomentar cidadania global e construir sociedades pacíficas

“Temos que fazer mais – muito mais. Cinquenta e sete milhões de crianças ainda não têm acesso à educação. Outras milhões necessitam de melhores condições educativas.” Leia mensagem do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Mensagem do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, para o Dia Internacional da Paz, lembrado a cada ano em 21 de setembro.

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon toca o Sino da Paz na tradicional observação do Dia Internacional da Paz. Foto: ONU/Paulo Filgueiras

“O Dia Internacional da Paz é um momento de reflexão – um dia em que reiteramos a nossa crença na não violência e apelamos a um cessar-fogo global.

Pedimos às pessoas de todo o mundo para fazerem um minuto de silêncio, ao meio-dia na hora local, para honrar aqueles que morreram em conflitos e os que sobreviveram e vivem hoje com o trauma e a dor.

Este ano damos destaque à Educação para a Paz. A educação é vital para fomentar a cidadania global e construir sociedades pacíficas.

Em junho, Malala Yousafza, a menina paquistanesa que sofreu uma tentativa de assassinato pelo Talibã por ter feito uma campanha sobre o direito à educação, veio às Nações Unidas. Malala afirmou: “Um professor, um livro, uma caneta podem mudar o mundo”. Estas são as nossas armas mais poderosas.

Foi por isso que lancei no ano passado a iniciativa “Educação Global em Primeiro Lugar”. Todas as meninas e meninos merecem ter uma educação de qualidade e aprender os valores que lhes permitirão se ver como parte da comunidade global.

Os governos e parceiros de desenvolvimento estão trabalhando para colocar todas as crianças na escola e, dessa forma, prepará-las para a vida no século XXI. Existe uma nova dinâmica nos países com maiores necessidades, tais como aqueles que são afetados pelos conflitos, onde a maioria das crianças não tem educação.

Temos que fazer mais – muito mais. Cinquenta e sete milhões de crianças ainda não têm acesso à educação. Outras milhões necessitam de melhores condições educativas.

Educar as crianças mais pobres e marginalizadas vai requerer uma liderança política firme e um maior compromisso financeiro. Ainda assim, a ajuda para a educação caiu pela primeira vez em uma década. Temos que inverter esta tendência, formar novas parcerias e atrair mais atenção para a qualidade da educação.

Neste Dia Internacional da Paz, comprometamo-nos a ensinar às nossas crianças o valor da tolerância e do respeito mútuo. Vamos investir nas escolas e nos professores que vão construir um mundo justo e inclusivo, que abrace a diversidade. Vamos lutar pela paz e defendê-la de todas as formas.”

Informações adicionais em www.onu.org.br e www.un.org/en/events/peaceday