Dia Internacional da ONU busca combater e conscientizar sobre fístula obstétrica

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

“É um fato chocante que, em nosso mundo de avanços médicos modernos, quase oitocentas mulheres ainda morram diariamente por complicações relacionadas à gravidez”, disse Ban,

Duas mulheres da Mauritânia, que passaram por cirurgias para sanar seu problema de fístula obstétrica. Foto: IRIN/Manon Riviere

Na ocasião do Dia Internacional pelo Fim da Fístula Obstétrica, nesta sexta-feira (23), as Nações Unidas lançaram um apelo pela erradicação da doença. Embora perfeitamente evitável mediante acesso a atendimento médico de qualidade, estima-se que a fístula obstétrica afete dois milhões de mulheres e garotas nos países em desenvolvimento.

“É um fato chocante que, em nosso mundo de avanços médicos modernos, quase oitocentas mulheres ainda morram diariamente por complicações relacionadas à gravidez, bem como que, para cada morte, haja quase vinte mulheres feridas ou severamente incapacitadas por condições de longo prazo como a fístula obstétrica”, declarou o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

A maior parte das mulheres que desenvolvem a fístula – um orifício no canal de parto causado por um parto prolongado – permanece sem tratamento pelo resto de suas vidas. Assim, o Dia Internacional é celebrado anualmente para conscientizar, angariar apoio e ampliar os esforços pelo fim deste mal que prejudica mulheres não só física, como também social e economicamente.


Comente

comentários