Dia da África – 25 de maio de 2012

‘A África é um continente dinâmico que está passando por uma transformação fundamental. Mesmo durante a crise econômica mundial, a economia africana continuou expandindo-se e as previsões de crescimento continuam positivas. No entanto, os benefícios não estão chegando a todos os africanos. Pobreza, fome e disparidades no acesso a saúde, educação e participação na sociedade estão impedindo centenas de milhões de africanos de alcançar seu potencial máximo. Precisamos fazer esforços suplementares para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio em 2015.’

Mensagem do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.

Ban Ki-moon, Secretário-Geral da ONU

Todo ano, o Dia da África proporciona uma oportunidade para reconhecer os êxitos alcançados pelos povos e governos da África e para reafirmar o apoio das Nações Unidas aos seus esforços para construir um futuro melhor.

As Nações Unidas felicitam os esforços recentes da África para consolidar sua arquitetura de paz e segurança, e para rejeitar mudanças de poder inconstitucionais. Vamos continuar a trabalhar em conjunto com os países do continente africano na construção de uma paz douradora, na resolução de conflitos armados, promoção da democracia e dos direitos humanos fundamentais, especialmente os direitos das mulheres e da juventude.

A África é um continente dinâmico que está passando por uma transformação fundamental. Mesmo durante a crise econômica mundial, a economia africana continuou expandindo-se e as previsões de crescimento continuam positivas. No entanto, os benefícios não estão chegando a todos os africanos. Pobreza, fome e disparidades no acesso a saúde, educação e participação na sociedade estão impedindo centenas de milhões de africanos de alcançar seu potencial máximo. Precisamos fazer esforços suplementares para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) em 2015.

O crescente número de histórias de sucesso em toda a África indica que um progresso econômico e social mais abrangente está ao alcance da maioria dos africanos. Eu testemunhei pessoalmente os benefícios que se obtêm quando se investe na saúde das mulheres e crianças e na agricultura sustentável. Passei muitas horas na companhia de líderes africanos que estão empenhados na paz, direitos humanos, direitos humanos, democracia e boa governança.

O desafio é ampliar esses progressos para assegurar que eles cheguem a todos os africanos, especialmente às pessoas mais pobres e vulneráveis de todo o continente. Em particular devemos enfrentar o espectro da fome – desde os mais visíveis episódios de emergência alimentar até ao obscuro fenômeno da desnutrição crônica que está afetando uma nova geração de crianças africanas.

Muitas destas questões vão estar sobre a mesa durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) que vai ter lugar no próximo mês no Brasil. A Rio+20 é uma oportunidade única para uma geração de poder moldar o futuro que queremos, um futuro onde a mudança climática e a desertificação já não sejam ameaças, onde a mortalidade materna e infantil devastadora, e doenças como a AIDS e a tuberculose estejam consignadas ao passado, onde todas as pessoas têm acesso a água potável e a saneamento.

Desde a energia renovável aos oceanos, do empoderamento das mulheres ao estabelecimento de parcerias produtivas entre governos, sociedade civil e empresas, a Rio+20 é a nossa oportunidade de cumprir o prometido, especialmente na África. Na comemoração deste dia da África, enquanto o mundo procura formar uma nova parceria global para o desenvolvimento sustentável, eu prometo trabalhar com os líderes e as pessoas da África para implementar um agenda que procura dar respostas às necessidades da África. Uma agenda que vai colocar o continente no caminho para o futuro que todos queremos: dinâmico, justo e com um desenvolvimento sustentável que beneficie todos os africanos.