Desigualdade e exclusão social são desafios para saúde nas Américas, diz agência da ONU

Os desafios mais importantes para a saúde e o bem-estar nas Américas estão enraizados na desigualdade e na exclusão social. A afirmação foi feita pela diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, durante a primeira reunião do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável, ocorrido na semana passada na Cidade do México.

Os desafios mais importantes para a saúde e o bem-estar nas Américas estão enraizados na desigualdade e na exclusão social, segundo a OPAS. Foto: Banco Mundial

Os desafios mais importantes para a saúde e o bem-estar nas Américas estão enraizados na desigualdade e na exclusão social, segundo a OPAS. Foto: Banco Mundial

Os desafios mais importantes para a saúde e o bem-estar nas Américas estão enraizados na desigualdade e na exclusão social. A afirmação foi feita pela diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, durante a primeira reunião do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável, ocorrido na semana passada na Cidade do México.

O encontro, que é um mecanismo político regional para debater as estratégias de desenvolvimento da região tendo como alvo o ano de 2030, ocorreu de 26 a 28 de abril e foi organizado pela Comissão Econômica para América Latina e o Caribe (CEPAL) e pelo governo mexicano.

“A saúde é crucial para a conquista da Agenda 2030 em seu conjunto”, afirmou Etienne, pedindo para enfrentar os desafios da saúde com muito mais que uma ação técnica. “É necessário um maior compromisso político, esforços coletivos e o envolvimento de atores em todos os níveis para garantir efetivamente que ninguém fique para atrás”, afirmou.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e seus 17 objetivos, aprovados em setembro de 2015 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, buscam colocar fim à pobreza, lutar contra a desigualdade e a injustiça, e fazer frente à mudança climática. Garantir uma vida saudável e promover o bem-estar para todos a qualquer idade (ODS3) é um dos objetivos da agenda.

“Além do ODS3, outros objetivos afetam a saúde, o que coloca em evidência a necessidade de uma ação multisetorial para melhorar a saúde e assegurar o desenvolvimento com equidade”, considerou. Saúde e desenvolvimento estão inextricavelmente vinculados, completou.

Segundo Etienne, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável requerem que os governos, as sociedades e as agências das Nações Unidas colaborem de forma inovadora, colocando a equidade e a inclusão social no centro de suas ações.