Desenvolvimento sustentável dos oceanos é essencial para acabar com a fome, afirma diretor da FAO

Pesca e a aquicultura são responsáveis por cerca de 15% do consumo médio de proteína animal de mais de 3 bilhões de pessoas, mas estas atividades não podem comprometer papel crucial dos oceanos na regulação do clima.

Foto: ONU/Martine Perret

Foto: ONU/Martine Perret

A luta contra a fome e a mudança climática vai depender do sucesso do desenvolvimento sustentável dos oceanos e da pesca, afirmou o Diretor-Geral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, acrescentando que “não pode haver uma economia verdadeiramente verde sem uma economia azul”.

“A importância da pesca de captura e da aquicultura não pode ser negligenciada”, disse Graziano da Silva, durante o 10º Encontro da FAO de Ministros de Agricultura do Sudoeste Pacifico, realizada na capital samoana de Apia.

Juntas, as duas atividades são responsáveis por cerca de 15% do consumo médio de proteína animal de mais de 3 bilhões de pessoas, além de gerar mais de 200 milhões empregos globalmente.

“Ao mesmo tempo, esses serviços vitais não podem comprometer o papel crucial dos oceanos na regulação do clima da Terra. Eles absorvem mais de 25% do dióxido de carbono emitido para a atmosfera pelas atividades humanas”, acrescentou Graziano, lembrando que a sustentabilidade dos oceanos é uma “questão de sobrevivência”.


Comente

comentários