Desemprego mundial volta a aumentar e 197 milhões de pessoas estão desempregadas, alerta OIT

O desemprego começou a aumentar à medida em que a perspectiva econômica mundial piorou, afirma a nova publicação Tendências Mundiais de Emprego.

197 milhões de pessoas desempregadas em 2012, segundo a OIT. Foto:OITEm 2012, o mundo teve 197 milhões de pessoas desempregadas, e esse número deve continuar subindo em 2013, alerta a publicação da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Tendências Mundiais de Emprego. De acordo com a OIT, em 2013, este número subirá para 202 milhões, e em 2014 mais 3 milhões de pessoas devem, ainda, perderem seus empregos.

Um quarto deste incremento aconteceu nas economias desenvolvidas, enquanto que três quartas partes se deveram ao efeito secundário que isto teve sobre outras regiões, especialmente a Ásia Oriental, Ásia Meridional e África Subsaariana.

“A incerteza em torno das perspectivas econômicas e as políticas inadequadas que foram implementadas para lidar com isso, debilitaram a demanda agregada, freando os investimentos e as contratações”, declarou o Diretor Geral da OIT, Guy Ryder. “Isto prolongou a crise do mercado laboral em vários países, reduzindo a criação de empregos e aumentando a duração do desemprego ainda em alguns países e aumentando a duração do desemprego ainda em alguns países que antes tinham taxas de desemprego baixas e mercados de trabalho dinâmicos”.

“Além disso, muitos dos novos postos de trabalho requerem qualificações que as pessoas que procuram trabalho não têm”, acrescentou Ryder. “Os governos deveriam intensificar os esforços dirigidos a apoiar as atividades relacionadas com a qualificação e a recapacitação a fim de enfrentar este tipo de desajuste que afeta os jovens de maneira particular”.

O relatório mostra que, em nível mundial, o número de trabalhadores pobres continua diminuindo, mas a um ritmo mais lento que antes da crise. Uma classe média de trabalhadores está surgindo no mundo emergente, o que poderia oferecer estímulos adicionais para a economia mundial. Mas ainda constitui um número muito pequeno para poder compensar o crescimento lento das economias avançadas.

A médio prazo, as previsões indicam que a recuperação econômica mundial não será suficientemente forte para reduzir o desemprego com rapidez e estima-se que o número de pessoas em busca de trabalho aumentará para mais de 210 milhões durante os próximos cinco anos.

A situação do mercado laboral permanece especialmente desalentadora para os jovens, com quase 74 milhões de pessoas entre 15 e 24 anos desempregadas no mundo, uma taxa de desemprego juvenil de 12,6%.