Demolições de Israel que deslocaram dezenas de palestinos preocupam ONU

Estrutura palestina demolida na Cisjordânia. Foto: IRIN/Shabtai Gold

Um funcionário humanitário de alto escalão da ONU expressou nesta quarta-feira (11) preocupação com as demolições israelenses no Vale do Jordão, que resultaram no deslocamento de 41 pessoas, incluindo 24 crianças, algumas das quais pela segunda vez neste mês.

O coordenador humanitário da ONU para o território ocupado da Palestina, James W. Rawley, também ressaltou que tais ações, além de causarem sofrimento humano, vão contra o direito internacional.

Tanto famílias refugiadas como não refugiadas foram afetadas pela demolição de 30 estruturas dos palestinos, de acordo com um comunicado de imprensa do Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA). Algumas das famílias foram deslocadas pela segunda vez neste mês e certas estruturas financiadas por doadores estavam entre as demolidas.

“Essas demolições são particularmente perturbadoras já que deixam famílias sem abrigo e comprometem a subsistência, logo quando as condições climáticas estão se deteriorando. Essas demolições devem ser levadas a um fim imediato”, destacou Rawley, que também é vice-coordenador especial para o Processo de Paz no Oriente Médio.

Desde o início do ano, mais de 630 estruturas de propriedade dos palestinos foram demolidas na Área C – que representa mais de 60% da Cisjordânia, onde Israel retém o controle sobre segurança, planejamento e construção – e Jerusalém Oriental, deslocando forçadamente 1.035 palestinos, incluindo 526 crianças.

70% das demolições na Área C e cerca de 80% dos deslocamentos relatados ocorreram nas comunidades do Vale do Jordão.