Darfur: Para representante da ONU e da União Africana, violência continuada é ‘beco sem saída’

Forças Armadas do Sudão e um grupo armado não identificado entraram em conflito na última sexta-feira (9).

A Representante Especial Conjunta em exercício e Mediadora-Chefe Conjunta da UNAMID, Aichatou Mindaoudou. (UNAMID)

A chefe interina da missão de paz das Nações Unidas e da União Africana na região ocidental sudanesa de Darfur – força de paz conhecida pela sigla UNAMIDconvocou ontem (12) o Governo sudanês e movimentos armados regionais a aceitarem que a luta contínua “é um beco sem saída que só prejudica o povo de Darfur”.

A Representante Especial Conjunta e Mediadora-Chefe da UNAMID, Aichatou Mindaoudou, emitiu o chamado destacando que a luta entre as Forças Armadas do Sudão (SAF) e um grupo armado não identificado, no dia 9 de novembro, perto da aldeia de Shangil Tobaya, em Darfur do Norte, foi “parte de um padrão maior de conflito na área nos últimos meses”.

“Mindaoudou insta todas as partes a cessarem as hostilidades imediatamente, respeitar os direitos humanos e o direito humanitário, e se engajar plenamente na solução pacífica do conflito de Darfur”, acrescentou a UNAMID em um comunicado de imprensa.

Após os combates do dia 9 de novembro, a missão de paz cuidou de combatentes feridos no local, antes de responder a um pedido de transporte aéreo deles para El Fasher, a capital do estado de Darfur do Norte, para cuidados adicionais.