Darfur: missão da ONU e da União Africana pede que grupo rebelde acolha trégua na região

Missão Conjunta da União Africana e da ONU em Darfur (UNAMID) pediu que o grupo armado Exército de Libertação do Sudão (ELS)/Abdul Wahid também apoie os seis meses de cessação das hostilidades na região do Sudão. Dois outros grupos rebeldes aderiram ao cessar-fogo no final de outubro.

Mulher e crianças sudaneses em Fanga Suk, Jebel Marra Leste, Darfur do Sul. Foto: ONU/Olivier Chassot

Mulher e crianças sudaneses em Fanga Suk, Jebel Marra Leste, Darfur do Sul. Foto: ONU/Olivier Chassot

A Missão Conjunta da União Africana e da ONU em Darfur (UNAMID) pediu nesta quinta-feira (3) que o grupo armado Exército de Libertação do Sudão (ELS)/Abdul Wahid também apoie os seis meses de cessação das hostilidades na região a oeste do Sudão.

Os grupos em conflito Exército de Libertação do Sudão / Movimento Minni Minnawi (SLA-MM) e Movimento Justiça e Igualdade (JEM) aderiram ao cessar-fogo no dia 31 de outubro.

“Outras partes do conflitos fizeram gestos que indicam a vontade de se alcançar a paz. Agora é a vez de Abdul Wahid El Nur fazer o mesmo”, disse o chefe da UNAMID, Martin Uhomoibhi, em comunicado à imprensa.

A Missão também parabenizou o recente anúncio feito pelo presidente do Sudão, Omar al-Bashir, de uma cessação das hostilidades até o fim do ano.

Segundo a UNAMID, gestos como esses encorajam todas as partes em conflito a se comprometer com uma solução negociada, inclusive através da assinatura do documento sobre a cessação das hostilidades apresentado às partes pelo Painel de Implementação de Alto Nível da União Africana (AUHIP).

Uhomoibhi acrescentou que a missão da ONU vai continuar trabalhando para proteger os civis em Darfur e para criar um ambiente propício para a paz sustentável na região.