Curso ‘Universitários pela Paz’ prioriza política da América Latina

Quarta edição do programa, em parceria com a UFRJ e o UNIC Rio, também comemora o Ano Internacional dos Afrodescendentes; temas estão sendo debatidos ainda no Segundo Colóquio Internacional de Direitos Humanos.

Quarta edição do programa, em parceria com a UFRJ e o UNIC Rio, também comemora o Ano Internacional dos Afrodescendentes; temas estão sendo debatidos ainda no Segundo Colóquio Internacional de Direitos Humanos.

Pedro Capello, do Rio de Janeiro, para a Rádio ONU (*)

Curso 'Universitários pela Paz' prioriza política da América Latina

A história e a política da América Latina são o tema da 4ª. edição do curso Universitários pela Paz, uma parceria entre a Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, e o Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil, UNIC Rio.

De acordo com a professora Vanessa Oliveira Batista, que participa da iniciativa, a América Latina tem problemas comuns e é preciso encontrar soluções adequadas, do ponto de vista teórico e da busca de políticas públicas que efetivem direitos.

Pesquisa Regional

O início do curso coincidiu com a realização do 2º Colóquio Internacional de Direitos Humanos, que termina nesta sexta-feira. O evento, na Faculdade Nacional de Direito da UFRJ, é organizado pelo Laboratório de Direitos Humanos (LADIH) com o apoio do UNIC Rio.

Nesta entrevista à Rádio ONU, a professora Vanessa Oliveira Batista, explicou a importância da pesquisa regional nos estudos dos universitários brasileiros.

[audio:http://onu.org.br/img/1106104iunipaz.mp3%5D

“Nós temos no Brasil hoje um movimento neste sentido. Nós temos uma tendência a buscar respostas que sejam próprias, adequadas para a situação latino-americana. Aqui no colóquio, temos um colombiano que perguntou por que estudamos a Ruanda ou o Sudão? Eu folgo em dizer que meu grupo estuda Colômbia, Bolívia, Brasil. Por que? Porque é onde vivemos e a resposta que nós temos que dar com a pesquisa na Universidade é para cá”, afirmou.

Regimes autoritários

A abertura do 2º Colóquio Internacional de Direitos Humanos contou com a presença do representante regional do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos para a América do Sul, Amerigo Incalcaterra, do diretor do UNIC Rio, Giancarlo Summa, e da coordenadora do próprio evento, Vanessa Oliveira Batista.

Ao final da mesa, o assunto dominante do debate entre palestrantes e participantes foi a apuração e o esclarecimento público das violações de direitos humanos praticadas no contexto da repressão política ocorrida na América Latina durante o período de regimes autoritários na região.

Confira algumas fotos do evento:

[nggallery id=5]

(*) Apresentação: Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.