‘Cuidados básicos de saúde não podem ser as próximas vítimas do ebola’, alerta UNICEF

Faixa de alerta sobre o vírus Ebola em Monróvia, capital da Libéria. Foto: UNMIL

Como parte dos esforços das Nações Unidas para ajudar a África Ocidental na luta contra o pior surto de ebola de sua história, um avião de carga do Fundo da ONU para a Infância (UNICEF) aterrizou neste sexta-feira (23) em Monróvia, capital da Libéria, com 69 mil toneladas de suprimentos de emergência. O UNICEF informou que foram enviados materiais básicos para auxiliar e proteger os profissionais de saúde e também evitar a propagação do vírus. Foram entregues 27 toneladas de cloro concentrado para desinfecção e purificação da água, e 450 mil pares de luvas de látex. Além disso, a agência da ONU forneceu fluidos intravenosos, soro caseiro e refeições prontas para alimentar os pacientes em tratamento.

“Os cuidados básicos de saúde não podem ser as próximas vítimas do ebola”, disse o representante do UNICEF na Libéria, Sheldon Yett. Ele lembrou que o UNICEF tem ajudado o governo da Libéria a avaliar a capacidade de abastecimento do país, que está enfraquecida pela crise. Além disso, tem produzido e divulgado, através das rádios, mensagens de prevenção nas comunidades para sensibilizar o público sobre o surto.

A Libéria é um dos quatro países da África Ocidental, juntamente com o Guiné, Serra Leoa e Nigéria, que atualmente está lutando contra o surto de ebola. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que mais de 1.300 pessoas morreram, o número oficial de casos nos países já ultrapassou 2.400 e cerca de 1 milhão de pessoas foram afetadas.