Crise de refugiados leva países a cortarem ajuda para o desenvolvimento, alerta ONU

Gastos com crise de refugiados fazem países cortar verbas de programas de longo prazo para o desenvolvimento. Foto: UNICEF /Alessio Romenzi

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, chamou a atenção nesta quarta-feira (11) para os cortes no financiamento da assistência para o desenvolvimento. Países estão reduzindo investimentos na área para financiar as operações de ajuda aos refugiados. No próximo final de semana, Ban vai se encontrar com os líderes das maiores economias do mundo na Cúpula do G-20, na Turquia, onde discutirá o tema.

“Com o mundo encarando a maior crise de deslocamento forçado desde a Segunda Guerra Mundial, o secretário-geral convoca a comunidade internacional a enfrentar esse imenso desafio sem reduzir seu compromisso com a assistência de desenvolvimento oficial e vitalmente necessária”, disse o porta-voz do dirigente máximo das Nações Unidas.

Ban afirmou que “ajudar as pessoas em necessidade não deve ser um jogo de soma zero”. “Recursos de uma área não devem vir às custas de outra”, disse. O secretário lembrou ainda que a comunidade internacional adotou recentemente os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o que deveria aumentar e não reduzir os investimentos internacionais destinados ao cumprimento da Agenda 2030.

Segundo o chefe da ONU, este redirecionamento de fundos, de iniciativas de longo prazo para ações voltadas aos refugiados, pode “causar um círculo vicioso de detrimento da saúde, da educação e das oportunidades para uma vida melhor nos lares para milhões de pessoas vulneráveis em todos os cantos do mundo”.