Crise de financiamento pode atrasar início do ano escolar de meio milhão no Oriente Médio, diz ONU

Segundo a Agência da ONU de Assistência aos Refugiados da Palestina, é necessário um financiamento de 101 milhões de dólares para garantir os serviços de educação antes do início do ano letivo.

Início do ano letivo pode ser adiado em cerca de 700 escolas no Oriente Médio. Foto: Arquivo UNRWA / Shareef Sarhan

Início do ano letivo pode ser adiado em cerca de 700 escolas no Oriente Médio. Foto: Arquivo UNRWA / Shareef Sarhan

Enfrentando sua mais grave crise financeira da história, a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) convocou no domingo (26) uma sessão de emergência para debater o risco crescente de que seja forçada a adiar o início do ano letivo de cerca de 700 escolas que beneficiam meio milhão de estudantes no Oriente Médio.

Em um comunicado à imprensa anunciando uma reunião de emergência da sua Comissão Consultiva, a UNRWA disse que ela pode ser forçada a tomar medidas drásticas a menos que o déficit de 101 milhões de dólares seja totalmente financiado antes do início do ano letivo. A sessão está ocorrendo na Jordânia e reúne os principais doadores da UNRWA e os governos anfitriões.

Como as coisas estão atualmente, a agência tem dinheiro suficiente para manter os seus serviços essenciais para proteger a saúde pública, que incluem imunizações para crianças, cuidados primários de saúde, alívio e saneamento e alguns programas de emergência até o fim de 2015, mas o financiamento é insuficiente para garantir fornecimento estável de seus serviços de educação a partir de setembro.

“A educação está no coração da identidade e dignidade dos refugiados palestinos e do que a UNRWA representa”, disse o comunicado de imprensa, acrescentando que as escolas da agência também fornecem uma medida de estabilidade em uma região muito instável.