Crimes ambientais movimentam mais de 200 bilhões de dólares por ano, diz novo relatório da ONU

Além dos impactos ambientais, o comércio ilegal de recursos naturais está privando as economias em desenvolvimento de bilhões de dólares em receitas perdidas, diz PNUMA.

O comércio ilegal financia o crime internacional, diz nova publicação. Foto: Banco Mundial/Curt Carnemark

O crime ambiental global movimenta anualmente mais de 200 bilhões de dólares, usados para financiar o crime, milícias e grupos terroristas internacionais. Estes crimes também ameaçam a segurança e o desenvolvimento sustentável de muitos países, afirma o relatório A Crise do Crime Ambiental, produzido pela ONU e a INTERPOL.

O documento foi lançado nesta terça-feira (24) na Assembleia Ambiental das Nações Unidas (UNEA), que acontece em Nairóbi, no Quênia.

“Além dos impactos ambientais imediatos, o comércio ilegal de recursos naturais está privando as economias em desenvolvimento de bilhões de dólares em receitas perdidas para encher os bolsos dos criminosos”, disse o diretor executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Achim Steiner. “Desenvolvimento sustentável, meios de subsistência, boa governança e o Estado de Direito também estão sendo ameaçados, com somas significativas de dinheiro indo para milícias e grupos terroristas”.

Estimativas combinadas da Organização para a Cooperação Econômica e o Desenvolvimento (OCDE), do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), do PNUMA e da INTERPOL afirmam que o valor monetário de todos os crimes ambientais — incluindo a extração de madeira, a caça ilegal e o tráfico de uma ampla gama de animais, a pesca ilegal, a mineração ilegal e despejo de resíduos tóxicos, seja entre 70 e 213 bilhões de dólares anuais.

Saiba mais sobre o relatório em http://bit.ly/1pI3y5i