COVID-19 destaca necessidade de multilateralismo renovado e inclusivo, diz chefe da ONU

Com a pandemia da COVID-19 colocando em risco os ganhos de desenvolvimento, expondo vulnerabilidades e desigualdades dentro e entre nações, o secretário-geral da ONU está exortando os governos a reexaminar como trabalham juntos para resolver os desafios globais.

Guterres falava na sexta-feira (17), durante o segmento de alto nível da sessão do Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC), para analisar o progresso no sentido de alcançar o desenvolvimento sustentável para todos até 2030.

Totens ilustram os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na sede da ONU em Nova Iorque – Foto: Manuel Elias/UM Photo

Totens ilustram os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na sede da ONU em Nova Iorque – Foto: Manuel Elias/UM Photo

Com a pandemia da COVID-19 colocando em risco os ganhos de desenvolvimento, expondo vulnerabilidades e desigualdades dentro e entre nações, o secretário-geral da ONU está exortando os governos a reexaminar como trabalham juntos para resolver os desafios globais.

Guterres falava na sexta-feira (17), durante o segmento de alto nível da sessão do Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC), para analisar o progresso no sentido de alcançar o desenvolvimento sustentável para todos até 2030.

“Este é o momento para a comunidade internacional atender ao atual alerta e avançar com uma resposta coletiva em unidade e solidariedade”, afirmou.

Multilateralismo renovado e inclusivo

A pandemia enfatizou a necessidade de um multilateralismo fortalecido e renovado, disse o secretário-geral na reunião virtual.

“Um multilateralismo construído sobre a confiança, baseado no direito internacional e voltado para os objetivos gerais de paz e segurança, direitos humanos e desenvolvimento sustentável”, afirmou.

Esse multilateralismo renovado precisa ser inclusivo, baseando-se nas contribuições da sociedade civil, empresas, academia e outros setores, continuou ele.

A ONU e suas agências, juntamente com instituições financeiras internacionais e organizações regionais, também devem trabalhar em conjunto com mais eficácia, declarou.

Papel essencial do ECOSOC

Guterres destacou o papel que o ECOSOC pode desempenhar na revitalização da cooperação global, descrevendo-a como a “nave-mãe da ONU para um desenvolvimento sustentável e inclusivo”.

O Conselho é um dos seis principais órgãos da ONU e serve como plataforma central para reflexão, debate e pensamento inovador sobre esta questão.

“Mas acredito que os Estados-membros podem capacitar o Conselho a evoluir e mudar com o tempo”, acrescentou o secretário-geral.

“Nesse momento crucial, com a COVID-19 ainda se espalhando, as tensões geopolíticas subindo e o apelo por justiça racial, social e climática cada vez mais urgente, temos a responsabilidade de responder às ansiedades, medos e esperanças das pessoas que servimos”, afirmou.

“Um ECOSOC revitalizado no centro de um multilateralismo em rede, inclusivo e eficaz pode nos ajudar a fazê-lo.”

O poder de trabalhar juntos

O Fórum Político de Alto Nível deste ano, encerrado na quinta-feira (16), traçando o progresso até agora na realização da ambiciosa Agenda 2030, destacou como a recuperação da pandemia precisa levar a um mundo mais justo, inclusivo e sustentável, segundo a presidente do Conselho, Mona Juul.

As duas semanas de discussões revelaram como a COVID-19 afetou as pessoas em todos os lugares, com impactos que serão sentidos por algum tempo.

Os países explicaram como a crise está agravando os obstáculos que eles já enfrentam enquanto trabalham para erradicar a pobreza, eliminar a desigualdade e combater as mudanças climáticas.

“Essa realidade atual pode ser desanimadora, mas é precisamente o tipo de desafio global para o qual as Nações Unidas foram fundadas”, disse Juul.

“Ao celebrarmos o 75º aniversário de nossa organização este ano, somos lembrados mais uma vez de nunca tomarmos o progresso como certo. Que este seja nosso chamado à ação. Mesmo em tempos difíceis, permanece uma grande esperança no poder de trabalhar juntos. Esse é o próprio espírito do multilateralismo.”

Necessidade de mudança sistêmica

A pandemia também levou à mobilização nos níveis local e nacional, disse o chefe do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU (DESA), refletindo sobre as discussões.

“A pandemia da COVID-19 destacou a necessidade de sistemas de saúde pública e resposta a emergências mais resilientes, principalmente nos países em desenvolvimento”, disse Liu Zhenmin.

“Exige uma resposta que não apenas observe as medidas de curto prazo e de emergência. Mas que também lide com as profundas mudanças sistêmicas e políticas estruturais necessárias para alcançar os ODS.”