Costa do Marfim inaugura novo Centro de Excelência contra a Fome

Inspirando-se na experiência brasileira, a Costa do Marfim inaugurou no fim de março (25) um novo Centro de Excelência Regional contra Fome e Má-Nutrição na África do Oeste e Central, fruto de uma parceria entre o governo do país e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas.

A iniciativa é inspirada no Centro de Excelência contra a Fome no Brasil, criado a partir de parceria entre o governo brasileiro e o PMA. A unidade da Costa do Marfim é a primeira do tipo no continente africano.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Inspirando-se na experiência brasileira, a Costa do Marfim inaugurou no fim de março (25) um novo Centro de Excelência Regional contra Fome e Má-Nutrição na África do Oeste e Central, fruto de uma parceria entre o governo do país e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas.

A iniciativa é inspirada no Centro de Excelência contra a Fome no Brasil, criado a partir de parceria entre o governo brasileiro e o PMA. A unidade da Costa do Marfim é a primeira do tipo no continente africano.

O novo centro vai funcionar como uma incubadora de soluções e um pólo para que os países da região troquem conhecimentos adaptados ao contexto africano. Sua criação é resultado do compromisso da Costa do Marfim de se aliar a outros países para ampliar a escala de boas práticas de combate à fome.

A Costa do Marfim fez sua primeira visita de estudos ao Brasil em 2013. Desde então, o Centro de Excelência do Brasil vem oferecendo assistência técnica ao governo do país para eliminar a fome e aprimorar a alimentação escolar.

Em dezembro de 2017, uma nova visita de estudos aconteceu, liderada pelo vice-presidente Daniel Kablan Duncan. O objetivo foi fortalecer a troca de conhecimentos nas áreas de alimentação escolar, segurança alimentar e proteção social e discutir a possibilidade de criação do centro de excelência em Abidjan.

A inauguração do novo Centro aconteceu na capital do país com um evento liderado pelo vice-presidente. O rei do Lesoto, Letsie III, o diretor-executivo do PMA, David Beasley, e o diretor do Centro de Excelência do Brasil, Daniel Balaban, estiveram presentes.

O vice-presidente Kablan Duncan afirmou que “a luta contra a fome e a má-nutrição afeta a maior riqueza de nosso país, nosso capital humano”.

Ele fez um reconhecimento especial ao Centro de Excelência do Brasil, que inspirou a criação do novo centro. “Daniel Balaban, diretor do Centro de Excelência do PMA no Brasil, tem apoiado o governo marfinense em seus esforços para construir uma política de alimentação escolar e nutrição vinculada à luta contra a fome e a pobreza”.

“Isso é parte de nossa cooperação efetiva com o Centro de Excelência brasileiro. O Brasil conseguiu tirar 40 milhões de pessoas da pobreza. Devemos ressaltar que Daniel Balaban apresentou ao governo marfinense os programas de combate à pobreza com foco na alimentação escolar vinculada à agricultura local. Essa experiência tornou possível fortalecer o programa de alimentação escolar no nosso país.”

O diretor-executivo do PMA afirmou que “este é o terceiro Centro de Excelência lançado pelo Programa Mundial de Alimentos, depois de Brasília e Beijing”. “Esses centros são um símbolo inspirador de como países comprometidos com a erradicação da fome podem aprender com os sucessos uns dos outros”.

Ele também elogiou a Costa do Marfim por suas recentes conquistas na promoção do desenvolvimento sustentável. “A Costa do Marfim é um exemplo de como o investimento e um compromisso claro com o fim da fome e da má-nutrição podem ajudar milhões de pessoas a aproveitar a oportunidade de construir um futuro melhor”.

Balaban falou sobre os pontos fortes do PMA para lutar contra a fome por meio de uma abordagem inclusiva de construção de resiliência. Ele destacou os impactos do Centro de Excelência brasileiro, criado para prover assistência técnica a governos de países em desenvolvimento comprometidos com a busca de soluções inovadoras para a fome e a pobreza.

“Testemunhar a experiência pioneira e inovadora do Centro de Excelência no Brasil também servindo de inspiração para que outros governos repliquem nosso modelo de trabalho em parceria com o PMA é o que me dá mais alegria. É a prova concreta de que este projeto vem sendo bem-sucedido em sua missão”, afirmou Balaban.

Durante a cerimônia, ele recebeu a Medalha da Ordem Nacional da Costa do Marfim das mãos do vice-presidente Duncan pela contribuição do Centro de Excelência brasileiro aos esforços da Costa do Marfim de aprimorar a alimentação escolar e superar a fome.


Comente

comentários