Costa do Marfim: Enviado da ONU condena ataques contra forças de segurança nacional

Ataques foram realizados em um momento em que “a situação política estava se tornando mais esperançosa e menos tensa”, afirmou em nota a missão de paz na região.

Representante Especial Bert Koenders (à esquerda) com as forças de paz da UNOCI. (UN Photo / Hien Macline)

O enviado das Nações Unidas na Costa do Marfim condenou os ataques armados por indivíduos não identificados, realizado contra as forças de segurança nacionais e em torno da capital comercial, Abidjan, na manhã de sexta-feira (21).

Duas pessoas ficaram feridas no primeiro ataque, contra um posto das Forças Republicanas da Costa do Marfim (FRCI, na sigla em francês) em Agbaou, a leste de Abidjan, de acordo com um comunicado de imprensa emitido pela Operação das Nações Unidas na Costa do Marfim (UNOCI).

No segundo ataque, que teve como alvo a Brigada de Gendarmaria de Yopougon, uma área no norte de Abidjan, um prisioneiro morreu, os escritórios da Brigada foram destruídos e vários veículos queimados.

O Representante Especial do Secretário-Geral e chefe da UNOCI, Bert Koenders (foto), lamentou os ataques e afirmou que eles não impedirão a vontade de marfinenses de fazer avançar o processo de reconciliação nacional.

Os ataques foram realizados em um momento em que “a situação política estava se tornando mais esperançosa e menos tensa, na sequência de um anúncio sobre a soltura iminente sob fiança de oito funcionários do antigo regime, que haviam sido presos e detidos após as crises pós-eleitorais da Costa do Marfim” observou a UNOCI.