Coronavírus: ‘Estamos todos juntos nesta situação – e juntos vamos superá-la’, diz secretário-geral da ONU

Em mensagem em vídeo nesta sexta-feira sobre o novo coronavírus, o secretário-geral da ONU, António Guterres, destacou que as Nações Unidas – incluindo a Organização Mundial da Saúde, agência líder para a resposta internacional – estão totalmente mobilizadas.

“Como parte de nossa família humana, trabalhamos 24 horas por dia com os governos, fornecendo orientação internacional, ajudando o mundo a enfrentar essa ameaça. Estamos totalmente solidários com você”, afirmou.

Confira a mensagem em vídeo na íntegra.

Em mensagem nesta sexta-feira (13) sobre o novo coronavírus, o secretário-geral da ONU, António Guterres, destacou que as Nações Unidas – incluindo a Organização Mundial da Saúde, agência líder para a resposta internacional – estão totalmente mobilizadas.

“Como parte de nossa família humana, trabalhamos 24 horas por dia com os governos, fornecendo orientação internacional, ajudando o mundo a enfrentar essa ameaça. Estamos totalmente solidários com você”, afirmou.

“Mais do que nunca, os governos devem cooperar para revitalizar as economias, expandir o investimento público, impulsionar o comércio e garantir apoio direcionado às pessoas e grupos mais afetados pela doença ou mais vulneráveis aos impactos econômicos negativos – incluindo mulheres que frequentemente suportam um fardo desproporcional de trabalho assistencial.”

Confira a mensagem na íntegra no vídeo acima, e em texto a seguir.

Mensagem do secretário-geral da ONU, António Guterres, sobre o novo coronavírus

“Caros amigos,

A agitação causada pelo coronavírus – Covid-19 – está por todo o lado.

E sei que muitos estão ansiosos, preocupados e confusos.

Isso é absolutamente natural.

Estamos enfrentando uma ameaça à saúde como nenhuma outra em nossas vidas.

Enquanto isso, o vírus está se espalhando, o perigo está crescendo e nossos sistemas de saúde, economias e vidas cotidianas sendo severamente testados.

Os mais frágeis são os mais afetados – particularmente nossos idosos e os que têm condições médicas pré-existentes, pessoas sem acesso a cuidados de saúde confiáveis e que estão em situação de pobreza ou vivendo à margem.

As consequências sociais e econômicas da combinação da pandemia e da desaceleração econômica afetarão a maioria de todos nós por alguns meses.

Mas a propagação do vírus atingirá o pico. Nossas economias vão se recuperar.

Até lá, devemos agir juntos para diminuir a propagação do vírus e cuidarmos um do outro.

Este é um momento para prudência, não para pânico. Para ciência, não para estigma. Para fatos, não para medo.

Embora a situação tenha sido classificada como uma pandemia, nós podemos controlá-la.

Podemos desacelerar as transmissões, prevenir infecções e salvar vidas.
Mas isso exigirá uma ação pessoal, nacional e internacional sem precedentes.

Devemos declarar guerra a esse vírus.

Isso significa que os países têm a responsabilidade de acelerar, impulsionar e ampliar ações.

Implementando estratégias eficazes de contenção.

Ativando e aprimorando os sistemas de resposta a emergências.

Aumentando de forma dramática a capacidade de oferecer testes e cuidados aos pacientes.

Preparando os hospitais, garantindo que tenham espaço, suprimentos e pessoal necessário.

E desenvolvendo intervenções médicas essenciais.

E todos nós também temos uma responsabilidade.

Seguir orientações médicas e seguir os passos simples e práticos recomendados pelas autoridades de saúde.

Além de ser uma crise de saúde pública, o vírus está infectando a economia global.

Os mercados financeiros foram duramente atingidos pela incerteza.

As cadeias de suprimentos globais foram interrompidas.

O investimento e a demanda do consumidor caíram – com um risco real e crescente de uma recessão global.

Economistas das Nações Unidas estimam que o vírus possa custar à economia global pelo menos US$ 1 trilhão este ano – e talvez muito mais.

Nenhum país pode fazer tudo sozinho.

Mais do que nunca, os governos devem cooperar para revitalizar as economias, expandir o investimento público, impulsionar o comércio e garantir apoio direcionado às pessoas e grupos mais afetados pela doença ou mais vulneráveis aos impactos econômicos negativos – incluindo mulheres que frequentemente suportam um fardo desproporcional de trabalho assistencial.

Caros amigos,

Uma pandemia mostra a interconexão essencial da nossa família humana.

Impedir a disseminação adicional da Covid-19 é uma responsabilidade compartilhada por todos nós.

As Nações Unidas – incluindo a Organização Mundial da Saúde – estão totalmente mobilizadas.

Como parte de nossa família humana, trabalhamos 24 horas por dia com os governos, fornecendo orientação internacional, ajudando o mundo a enfrentar essa ameaça.

Estamos totalmente solidários com você.

Estamos todos juntos nesta situação – e juntos vamos superá-la.

Obrigado.”