Corinthians realiza ações com refugiados em São Paulo neste sábado (16)

Com apoio do ACNUR, refugiados passarão o período da manhã no Parque São Jorge conhecendo a história do clube através da visita monitorada na sede social e no Memorial Corinthians. Deste grupo, 11 crianças entrarão em campo com os jogadores e uma faixa alusiva da ação com os dizeres “Refugiados, sejam bem-vindos à nossa Nação! #TimeDosPovos”.

Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Neste sábado (16), o Corinthians enfrentará o Red Bull Brasil pela fase quartas de final do Campeonato Paulista, às 16h20, na Arena Corinthians. Neste jogo, que vale uma vaga na semifinal do torneio estadual, o time paulista, por meio do seu Departamento de Responsabilidade Social, proporcionará um dia diferente para cem refugiados que adotaram a cidade de São Paulo como morada.

Em parceria com a Caritas Arquidiocesana de São Paulo, que mantém o Centro de Referência do Refugiado por meio de convênio com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), será realizada uma edição especial do projeto ‘Time do Povo’, que costumeiramente atende entidades que cuidam de crianças carentes para viverem “um dia de Corinthians”.

Os refugiados passarão o período da manhã no Parque São Jorge conhecendo a história do “Timão” através da visita monitorada na sede social do clube e no Memorial Corinthians. Depois do almoço, serão direcionados à Arena Corinthians, onde assistirão a partida do Alvinegro contra o Toro Loko campineiro.

Deste grupo, 11 crianças entrarão em campo com os jogadores e uma faixa alusiva da ação com os dizeres “Refugiados, sejam bem-vindos à nossa Nação! #TimeDosPovos”. Além disso, outros dez terão a oportunidade de assistir o aquecimento dos atletas no ambiente interno do estádio.

“A ação visa a reforçar a característica do Corinthians de ser o ‘time das mil nações’, apelido que o clube recebeu no início da sua história por receber bem imigrantes de todos países, sem restrições. E continuamos recebendo nesses 106 anos de história”, conta Donato Votta, diretor de Cultura e Responsabilidade Social. Faixas com nomes de diversos países e o distintivo alvinegro serão distribuídas aos torcedores na Arena.

O clube ainda se comprometerá a dar oportunidade de trabalho na Arena Corinthians e em sua sede social para os refugiados.


Comente

comentários