Coreia do Norte: Responsabilização por crimes contra humanidade deve ser prioridade, diz relator

A situação dos direitos humanos no país pode ser enviada ao Tribunal Penal Internacional. Objetivo final é garantir paz e estabilidade na península coreana.

Mercado de Tongil, Pyongyang, Coreia do Norte. Foto: Instagram/Drew Kelly (instagram.com/drewkelly)

Mercado de Tongil, Pyongyang, Coreia do Norte. Foto: Instagram/Drew Kelly (instagram.com/drewkelly)

O relator especial das Nações Unidas para a Situação dos Direitos Humanos na Coreia do Norte, Marzuki Darusman, afirmou que a prestação de contas dos responsáveis por crimes contra a humanidade continua a ser uma questão prioritária na agenda para o país.

Os comentários do especialista precedem em alguns dias a votação do Terceiro Comitê da Assembleia Geral da ONU que pode levar ao envio de um relatório para o Conselho de Segurança, com o objetivo de encaminhar a situação dos direitos humanos na Coreia do Norte ao Tribunal Penal Internacional (TPI).

“O objetivo final é criar uma situação de paz e estabilidade na península coreana”, destacou o relator especial em visita oficial a Seul, na Coreia do Sul. “Quando a reunificação eventualmente ocorrer, a responsabilização por violações de direitos humanos só pode trazer uma contribuição positiva para a realização deste objetivo final.”

Darusman também expressou preocupação com os raptos de cidadãos sul-coreanos pela Coreia do Norte, com o envio de trabalhadores norte-coreanos ao exterior e com a submissão de pessoas ao trabalho forçado.