Projeto de mapeamento digital faz jovens pensarem em soluções para mudanças climáticas

Jovens presentes na Conferência do Clima em Paris, na França. Foto: UNICEF França/Zumstein

O projeto “Aja agora pelo amanhã” de mapeamento digital ajuda jovens a identificar questões climáticas em suas comunidades e encontrar formas de responder a estes problemas. A iniciativa foi lançada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e apresentada na Conferência do Clima em Paris (COP21).

“Eles veem todas as contribuições de outras pessoas jovens e eles entendem que a questão é global, que todos eles estão conectados em torno do mesmo problema, mas também aprendem uns com os outros, olham para as melhores práticas que foram feitas em diferentes lugares e se conectam”, explicou a coordenadora de engajamento da criança do UNICEF, Zayn Abaakil.

Bellinda Raymond, de 22 anos, viajou da Malásia para a Conferência dos Jovens antes de chegar à COP21. Voz ativa em sua comunidade indígena, ela afirma que seus avós não foram afetados pelas mudanças climáticas como seus contemporâneos e cita as inundações como o maior problema enfrentado por sua comunidade.

“Como uma pessoa indígena, nós dependemos da floresta e dos rios para a nossa vida diária – e temos nosso sistema tradicional, também relacionado ao clima. O tempo é imprevisível agora e precisamos nos adaptar ao ambiente que está mudando”, afirmou Raymond.

Segundo Zayn Abaakil, hoje o mapa climático global conta com a participação de 500 jovens de 65 países.