Convenção da ONU estabelece duplicação do financiamento internacional a favor da biodiversidade

As resoluções da COP-12 devem facilitar a implementação de planos de ação e a mobilização de recursos a favor da biodiversidade, além da integração entre a biodiversidade e a erradicação da pobreza.

Nascimento das tartarugas no Projeto Tamar, Fernando de Noronha.. Foto: Flickr/Murilo Cardoso. (Creative Commons)

Nascimento das tartarugas no Projeto Tamar, Fernando de Noronha.. Foto: Flickr/Murilo Cardoso. (Creative Commons)

Os governos presentes na 12ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica (COP-12) firmaram um acordo que estabelece prazo de um ano para a duplicação do financiamento internacional a favor da biodiversidade em países em desenvolvimento – incluindo pequenas ilhas e economias em transição – pelos próximos cinco anos.

A decisão já havia sido originalmente estabelecida na edição anterior da reunião em 2012, na Índia, mas houve desacordos em seus métodos de implementação. Agora, os participantes da conferência tomaram como base a média de fundos anuais para a biodiversidade entre os anos de 2006 e 2010.

As resoluções da COP-12 – realizada em Pyeongchang, na Coreia do Sul, em outubro deste ano – devem fortalecer a capacidade dos governos e de outras partes interessadas em implementar seus planos de ação e suas estratégias para a biodiversidade nacional. Dentre elas, incluem-se medidas para mobilização de recursos, cooperação científica e técnica que relacione a biodiversidade com a erradicação da pobreza e monitoramento do Plano Estratégico para Biodiversidade.

Os governos presentes também concordaram em aumentar o financiamento interno para a biodiversidade, impulsionar o aumento dos fundos para outros recursos, reduzir a poluição terrestre, promover a pesca sustentável e melhorar o desenho das redes de áreas marinhas protegidas por recifes de corais. Além disso, foram discutidas as principais ameaças à biodiversidade marinha – a poluição sonora subaquática e a acidificação dos oceanos.

O assistente do secretário-geral das Nações Unidas e secretário executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica (CBD), Braulio Ferreira de Souza Dias, é brasileiro e disse que os comprometimentos dos líderes políticos presentes na reunião mostram ao mundo que a biodiversidade é a solução aos desafios de desenvolvimento sustentável e serão elemento central em qualquer discussão para a agenda de desenvolvimento de 2015, que vai suceder os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs).