Controladoria-Geral da União premia empresas signatárias do Pacto Global por luta anticorrupção

A edição 2018-2019 do Prêmio Empresa Pró-Ética, oferecido pela Controladoria-Geral da União (CGU), condecorou 26 empresas brasileiras comprometidas com a luta anticorrupção em seus negócios. Dentre as iniciativas premiadas, 18 são signatárias da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas.

Premiação aconteceu em Brasília, durante a 1ª Conferência Internacional de Promoção da Integridade promovida pela CGU entre os dias 12 e 13 de dezembro. O Empresa Pró-Ética é uma iniciativa que há nove anos busca promover um ambiente corporativo mais íntegro, ético e transparente no país.

A Rede Brasil trabalha o tema com as empresas signatárias a partir do seu Grupo de Trabalho Anticorrupção, que analisa que a prática impede o crescimento econômico, aumenta os custos de transação e cria um mercado desequilibrado, levando à instabilidade social, alimentando a desconfiança pública e minando o Estado de Direito.

Dentre as 26 empresas brasileiras que receberam o Prêmio Empresa Pró-Ética, 18 são signatárias da Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Foto: Adalberto Carvalho/AscomCGU.

Dentre as 26 empresas brasileiras que receberam o Prêmio Empresa Pró-Ética, 18 são signatárias da Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Foto: Adalberto Carvalho/AscomCGU.

A Controladoria-Geral da União entregou, na última quinta-feira (11), prêmio que visa reconhecer companhias de diversos setores comprometidas em implementar medidas voltadas para a prevenção, detecção e remediação de atos de corrupção e fraude.

Entre as 26 organizações legitimadas com o prêmio Empresa Pró-Ética, 18 são signatárias da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas, sendo que 7 participam do GT Anticorrupção da Rede Brasil.

As 18 reconhecidas pelo Empresa Pró-Ética que assinam o Pacto Global da ONU são:

Alubar; Amil; Banco do Brasil; Sabesp; COPEL; Governo do Estado do Paraná; CPFL Energia; ENEL; Grupo Fleury; Itaú; Natura; Neoenergia; Ernest Young; Radix; Tecnew; TIM; Unimed Belo Horizonte; e Vezzi, Lapolla, Mesquita Advogados.

De acordo com a CGU, mais de 370 empresas se inscreveram para esta edição do prêmio, mas apenas 222 preencheram o formulário de avaliação.

Após um processo de análise que contou com a comprovação de documentos e informações, foram definidos os 26 ganhadores anunciados na cerimônia.

Saiba mais sobre o GT Anticorrupção da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas.

Para mais informações sobre o Prêmio Empresa Pró-Ética, clique aqui.