Consulado do Canadá e ONU promovem palestra sobre direitos dos migrantes; participe

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Consulado Geral do Canadá no Rio de Janeiro, com apoio do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), realiza nesta quinta-feira (23), às 14h, no Centro Cultural dos Correios, a palestra “Os direitos dos migrantes”.

O evento terá como palestrantes Evelyne Coulombe, consulesa-geral do Canadá; Renata Giannini, pesquisadora senior do Instituto Igarapé; Carolina Moulin, professora do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio; e Marcelo Torelly, representando a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

A entrada é franca, com espaço sujeito à lotação (40 lugares).

Ação do governo do Canadá em apoio ao trabalho da ONU em Roraima, com migrantes venezuelanos. Foto: Embaixada do Canadá no Brasil

Ação do governo do Canadá em apoio ao trabalho da ONU em Roraima, com migrantes venezuelanos. Foto: Embaixada do Canadá no Brasil

O Consulado Geral do Canadá no Rio de Janeiro, com apoio do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), realiza nesta quinta-feira (23), às 14h, no Centro Cultural dos Correios, a palestra “Os direitos dos migrantes”.

O evento terá como palestrantes Evelyne Coulombe, consulesa-geral do Canadá; Renata Giannini, pesquisadora senior do Instituto Igarapé; Carolina Moulin, professora do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio; e Marcelo Torelly, representando da Organização Internacional para as Migrações (OIM).

O objetivo da ação é debater a migração dentro de uma abordagem de direitos. Segundo a consulesa-geral Evelyne Coulombe, o tema é especialmente relevante para o Brasil, não só pela questão do fluxo migratório com a Venezuela, mas também porque o país possui uma migração interna muito forte, motivada principalmente por motivos econômicos e desastres ecológicos.

A palestra acontecerá na galeria da exposição “70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos”, com obras de Otávio Roth. Realizada pela primeira vez no Rio de Janeiro, a mostra apresenta 30 xilogravuras que traduzem os ideais de paz e igualdade defendidos nos artigos do documento.

Aprovada em 10 de dezembro de 1948, a Declaração foi construída a partir do esforço conjunto da comunidade internacional para garantir que os horrores da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) – incluindo o Holocausto – jamais se repetissem.

Considerada a base da luta universal contra a subjugação e abuso de povos, o documento estabelece obrigações para a atuação de governos, de maneira a garantir a proteção de comunidades e indivíduos.

A entrada é franca, com espaço sujeito à lotação (40 lugares).

Serviço:
Palestra “Os direitos dos migrantes”

23 de agosto – 14h
Classificação: livre
Centro Cultural Correios – Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro, Rio de Janeiro


Mais notícias de:

Comente

comentários