Conselho de Segurança visita Iraque, 5 anos após proclamação de ‘califado’ do Estado Islâmico

O Conselho de Segurança das Nações Unidas concluiu no final do mês passado (30) sua primeira visita ao Iraque, cinco anos após a proclamação feita pelo grupo terrorista Estado Islâmico de um “califado” no país.

Durante a visita, que também contou com uma passagem pelo Kuwait, membros do Conselho se encontraram com autoridades seniores, oficiais humanitários e da ONU para discutir o desenvolvimento do Iraque, a situação humanitária e os recorrentes desafios de segurança enfrentados pelo país.

Representantes de países-membros do Conselho de Segurança da ONU reúne-se com chanceler do Iraque. Foto: UNAMI

Representantes de países-membros do Conselho de Segurança da ONU reúne-se com chanceler do Iraque. Foto: UNAMI

O Conselho de Segurança das Nações Unidas concluiu no final do mês passado (30) sua primeira visita ao Iraque, cinco anos após a proclamação feita pelo grupo terrorista Estado Islâmico de um “califado” no país.

Durante a visita, que também contou com uma passagem pelo Kuwait, membros do Conselho se encontraram com autoridades seniores, oficiais humanitários e da ONU para discutir o desenvolvimento do Iraque, a situação humanitária e os recorrentes desafios à segurança enfrentados pelo país.

Membros do Conselho destacaram que a visita salientou apoio à contínua recuperação do Iraque após o conflito e esforços de reconciliação para cumprir as necessidades de todos os iraquianos.

Eles também enfatizaram a importância da soberania e da segurança do Iraque. Em encontros com Ghassan Khoja, representante do Banco Mundial, os membros destacaram a importância de fundos para recuperação, incluindo as promessas feitas na Conferência Internacional do Kuwait para Reconstrução do Iraque, em 2018.

Governo eficaz e questões de corrupção

Recentes desdobramentos políticos no Iraque, incluindo progresso em direção à formação do governo, foram elogiados pelos membros do Conselho de Segurança, que reconheceram a importância de uma administração que mantenha os valores da Constituição do país.

Segundo eles, o governo também precisa responder às necessidades de todos os iraquianos, incluindo mulheres, jovens, crianças, pessoas deslocadas e pessoas que pertencem a todos os grupos étnicos e religiosos.

A participação do governo nacional na resolução de questões pendentes com o Governo Regional Curdo, que foi elogiada pelos membros, e a questão da corrupção foram levantadas, em especial esforços para implementação do programa de Governo Nacional 2018-2022. O programa inclui respostas à corrupção e fortalecimento de instituições estatais viáveis.

Preocupações humanitárias e com segurança

A situação humanitária, incluindo a entrega de serviços básicos, continua desafiadora no Iraque e membros do Conselho destacaram a importância de todas as pessoas deslocadas internamente pelo conflito, incluindo em áreas libertadas. A necessidade de reforma econômica, investimentos e integração econômica regional para responder aos desejos e preocupações do povo iraquiano também foram destacados.

Apoio ao mandato da Missão da ONU de Assistência ao Iraque (UNAMI) de apoiar e auxiliar o governo do Iraque na promoção de diálogos políticos inclusivos; reconciliação e cooperação nacional, regional e comunitária; e segurança e reforma judicial também foram reafirmados pelos representantes do Conselho de Segurança. Os membros também elogiaram os esforços do governo do Iraque, junto a autoridades locais e regionais, em atividades antiterrorismo.

Uma equipe investigativa da ONU encarregada de responsabilizar o Estado Islâmico por crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio deve continuar independente e imparcial. Além disso, a equipe também precisa garantir que seus membros iraquianos se beneficiem de expertise internacional e de esforços para compartilhar conhecimento e assistência técnica com o Iraque, insistiram os representantes.