Conselho de Segurança regulamenta nova missão da ONU na Colômbia

Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou recomendações do secretário-geral da organização, António Guterres, relativas ao tamanho, aspectos operacionais e ao mandato da Missão de Verificação das Nações Unidas na Colômbia, estabelecida em julho deste ano.

Observadores da ONU removendo as últimas das mais de 8.112 armas entregues pelas FARC-EP. Foto: Missão da ONU na Colômbia

Observadores da ONU removendo as últimas das mais de 8.112 armas entregues pelas FARC-EP. Foto: Missão da ONU na Colômbia

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou na última quinta-feira (14) as recomendações do secretário-geral da organização, António Guterres, relativas ao tamanho, aspectos operacionais e ao mandato da Missão de Verificação das Nações Unidas na Colômbia.

Adotando por unanimidade uma nova resolução, o Conselho acolheu o relatório recente do secretário-geral, que afirma que a missão iniciaria suas atividades no dia 26 de setembro.

A missão tem como objetivo consolidar o processo de paz e auxiliar as partes envolvidas em seus esforços para assegurar a plena reintegração social, econômica e política dos antigos membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC-EP) “no menor tempo possível”.

Além disso, a missão deve garantir que as áreas rurais do país mais atingidas pelo conflito possam recuperar a paz e a segurança que as comunidades aspiram.

A Missão de Verificação foi estabelecida como sucessora da Missão das Nações Unidas na Colômbia, por meio da aprovação de uma resolução do Conselho de Segurança em julho deste ano.

A antiga missão era responsável por monitorar e verificar a entrega de armas pelas FARC-EP, o cessar-fogo bilateral e o fim das hostilidades entre o governo e as forças revolucionárias. Em novembro do ano passado, as duas partes assinaram um acordo de paz, encerrando um conflito de 50 anos.

Em uma reunião do Conselho de Segurança na semana passada, o representante especial do secretário-geral para a Colômbia, Jean Arnault, disse que, à medida que a Missão de Verificação se prepara para iniciar suas atividades, ele espera que, com o apoio do Conselho, a nova operação seja capaz de fortalecer a confiança do país rumo a uma paz estável.

“Nos últimos meses, o processo de paz entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia vem, lentamente, mas com firmeza, inclinando a balança a favor da esperança”, disse ele.

Arnault também observou que a transformação formal das FARC-EP em um partido político destacou os desenvolvimentos importantes que ocorreram no país no ano passado.