Conselho de Segurança pode votar nesta quinta resolução contra a Líbia

Estados Unidos defendem necessidade de medidas para lidar com a situação; segundo agências, continuam os ataques aéreos do exército em Benghazi.

Estados Unidos defendem necessidade de medidas para lidar com a situação; segundo agências, continuam os ataques aéreos do exército em Benghazi.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Conselho de Segurança está reunido nesta quinta-feira a portas fechadas para discutir a situação na Líbia. Em declaração a jornalistas, em Nova Iorque, os Estados Unidos defenderam que negociações estão em curso para impor uma zona de exclusão aérea no país.

Segundo agências, ataques aéreos do exército continuam ocorrendo em Benghazi, a maior cidade em poder dos rebeldes. As operações seguem diante de protestos antigovernamentais, iniciados no mês passado.

Discussões

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Susan Rice, disse a jornalistas que diplomatas continuam trabalhando “em ma linguagem para lidar de uma forma concreta e significativa com a situação líbia.”

Susan Rice afirmou que a proposta dos Estados Unidos tem o apoio da Grã-Bretanha, Líbano e França.

Segundo Rice, o interesse é permitir que haja um vasto leque de ações que de proteção a civis e aumentar a pressão sobre Kadafi de forma eficaz para conter as mortes, além de permitir que os líbios expressem as aspirações deles para o futuro, de uma forma livre e pacífica.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Clique aqui para ouvir a matéria da Rádio ONU.