Conselho de Segurança pede apoio à comunidade internacional para combater terrorismo na África

Organismo das Nações Unidas chamou a atenção para a atuação de grupos terroristas que operam na Líbia, na Nigéria e em toda a região do Sahel, onde o livre comércio de armamentos agrava instabilidade.

Refugiados da Nigéria buscam abrigo no Níger, após fugirem de regiões afetadas por conflitos entre forças nigerianas e o grupo Boko Haram. Foto: ACNUR / C.Arnaud

Refugiados da Nigéria buscam abrigo no Níger, após fugirem de regiões afetadas por conflitos entre forças nigerianas e o grupo Boko Haram. Foto: ACNUR / C.Arnaud

O Conselho de Segurança das Nações Unidas emitiu, nesta terça-feira (8), um apelo à comunidade internacional para que ações de segurança e de assistência humanitária sejam fortalecidas na África subsaariana, em especial, na Líbia e na Nigéria, com o intuito de combater a atuação de organizações terroristas na região. De acordo com o órgão das Nações Unidas, os programas de auxílio voltados para a área do Sahel continuam subfinanciados.

O organismo da ONU expressou preocupação quanto ao grupo nigeriano Boko Haram, cujos ataques já forçaram mais de 2,5 milhões de pessoas, entre elas, 1,4 milhão de crianças, a se deslocarem. As ações dos terroristas da Nigéria são responsáveis por provocar a fuga de 200 mil refugiados do país para Camarões, Chade e Níger.

O Conselho de Segurança também chamou a atenção para a situação da Líbia, onde extremistas que operam na região do Sahel encontram abrigos seguros. O organismo das Nações Unidas solicitou que a ajuda internacional apoie ações de segurança na nação e em países vizinhos, a fim de combater terroristas ligados a Al-Qaeda. Distritos regionais devem coordenar esforços para impedir que terroristas cruzem as fronteiras em direção a localidades remotas do Sahel.

A mensagem do Conselho foi emitida apenas duas semanas após a enviada especial do secretário-geral da ONU para o Sahel, Hiroute Guebre Sellassie, alertar o órgão a respeito da possibilidade de que a região pode vir a se tornar um terreno fértil para o recrutamento de terroristas. Para o Conselho de Segurança, além de fortalecer ações de segurança e coibir o livre comércio de armamentos e munições, a ajuda internacional deve enfrentar as raízes do extremismo, investindo no desenvolvimento da África subsaariana e na criação de oportunidades de emprego e educação.

“O Conselho de Segurança pede à comunidade internacional e a doadores que cumpram seus compromissos feitos com vistas a acelerar o crescimento econômico, a erradicar a pobreza e a apoiar as reformas de governança, através de projetos que apoiariam esforços de paz e segurança”, afirmou o órgão. O organismo pediu à União Africana e à Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental que deem apoio às iniciativas de assistência humanitária.