Conselho de Segurança faz novas exigências ao Exército de Resistência do Senhor

Ataques já deslocaram mais de 380 mil pessoas em toda a África Central. Ajuda humanitária e proteção a civis são prioridades.

Mulher busca refúgio após ataques do LRAO Conselho de Segurança condenou hoje (22/7) os ataques do Exército de Resistência do Senhor (LRA) em toda a África Central, exigindo o fim das atrocidades contra civis e a rendição dos insurgentes. Os ataques já deslocaram mais de 380 mil pessoas em toda a região.

“Os membros do Conselho de Segurança expressam profunda preocupação com o fato dos comunicados anteriores para o LRA, com exigência pelo cessar fogo, pela interrupção do recrutamento, inclusive de crianças, a favor da libertação de todas as mulheres e não-combatentes, não terem sido atendidos”, disse o Presidente do Conselho de Segurança, Peter Witting.

O organismo das Nações Unidas saudou a liderança da União Africana (UA) e a estratégia abrangente para combater a ameaça do LRA, considerando, além da ação militar, a proteção dos civis, o desarmamento, o repatriamento e reintegração.

O Conselho exortou todos os escritórios da ONU atuando na área afetada a avaliarem ações de resposta humanitária e proteção aos civis.