Conselho de Segurança elogia acordo de paz na Guiné para realização de eleições legislativas

Conflito entre o governo e a oposição já havia deixado mortos e feridos em confronto no mês de março.

Reunião do Conselho de Segurança, formado por 15 países membros. Foto: ONU/Ryan Brown

Reunião do Conselho de Segurança, formado por 15 países membros. Foto: ONU/Ryan Brown

O Conselho de Segurança da ONU elogiou na terça-feira (29) a declaração de não violência assinada na semana passada na capital da Guiné, Conakry, entre o governo e seus opositores. Ambas as partes se comprometeram a resolver suas diferenças através de meios pacíficos.

Em um comunicado à imprensa, os 15 membros do Conselho também enalteceram a declaração do presidente Alpha Condé em que ele expressou empenho para garantir a transparência e a credibilidade do processo eleitoral, comprometendo-se a aceitar os resultados das próximas eleições legislativas.

Em março, os protestos no país do oeste africano resultaram em várias mortes e centenas de feridos por causa das eleições. À época, tanto o Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon quanto o escritório de direitos humanos das Nações Unidas pediram calma e diálogo entre as partes envolvidas.

Os membros do Conselho também expressaram seu firme apoio aos esforços de mediação liderados pelo Representante Especial do Secretário-Geral para a África Ocidental, Said Djinnit, para retomar o diálogo político nacional entre o governo da Guiné e a oposição.

“O Conselho pediu a todas as partes para cooperar estreitamente com ele (Djinnit), com o propósito de criar as condições necessárias para um diálogo político nacional propício para a realização de eleições legislativas livres, justas, transparentes e inclusivas na Guiné”, disse o Subsecretário-Geral da ONU para Assuntos Políticos, Jeffrey Feltman.