Conselho de Segurança da ONU reduz em 2,5 mil o efetivo da missão de paz no Haiti

O país teve avanços consideráveis, segundo o Conselho, que também ampliou o mandato da MINUSTAH até 15 de outubro de 2012.

Conselho de Segurança da ONU reduz em 2,5 mil o efetivo da missão de paz no HaitiO Conselho de Segurança da ONU estendeu nesta sexta-feira (14/10) o mandato da Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (MINUSTAH) em mais um ano e reduziu o número do efetivo em 2,5 mil. Com a mudança, o Haiti terá um total de 10,5 mil capacetes azuis.

A resolução foi adotada por unanimidade pelos 15 membros do Conselho de Segurança. O texto autoriza a permanência de 7.430 trabalhadores de paz e 3.241 oficiais de polícia até 15 de outubro de 2012, justificando que o Haiti teve “avanços consideráveis”.

Qualquer ajuste futuro ao tamanho da Missão, segundo o Conselho, será baseado na situação geral de segurança do país, “considerando (…) o crescimento das capacidades de desenvolvimento do Estado haitiano, incluindo o fortalecimento da polícia nacional haitiana”.

A resolução também condenou atos de violência, como o abuso sexual de mulheres e crianças, pedindo que o Secretário-Geral da ONU tome todas as medidas necessárias para garantir que haja tolerância zero em relação a violações cometidas por funcionários das Nações Unidas.

Cerca de 600 mil pessoas continuam deslocadas internamente

O país ainda enfrenta desafios humanitários, com mais de 600 mil pessoas deslocadas internamente, uma epidemia de cólera e extrema vulnerabilidade a desastres naturais.

A MINUSTAH teve início em meados de 2004, após o então presidente Jean-Bertrand Aristide ter se exilado em meio a tumultos violentos. A missão, no entanto, permaneceu auxiliando o país a se recuperar do terremoto em janeiro do ano passado, quando mais de 200 mil pessoas morreram e a infraestrutura do país foi seriamente abalada.