Conselho de Segurança da ONU enfatiza necessidade de solucionar pendências entre Israel e Líbano

Organismo pede “que as partes continuem trabalhando dentro do quadro do mecanismo tripartite, com a finalidade de progredir na manutenção da marcação da Linha Azul”.

Sessão do Conselho de Segurança (UN Photo/Mark Garten)O Conselho de Segurança da ONU se disse encorajado pela estabilidade que prevalece na chamada Linha Azul – separação entre Israel e Líbano – e enfatizou a necessidade de implementação de resoluções relevantes para as pendências entre os dois países.

Em comunicado emitido na noite de quarta-feira (18), o órgão “pediu que as partes continuem trabalhando dentro do quadro do mecanismo tripartite, com a finalidade de progredir particularmente na manutenção da marcação da Linha Azul”. O pronunciamento deu-se após reunião com o Coordenador Especial da ONU para o Líbano, Derek Plumbly, na qual foi debatida a implementação da resolução 1701.

Pumbly disse a repórteres que tem “tanto o forte senso do valor e da importância do que a UNIFIL [Força Interina das Nações Unidas no Líbano] está fazendo com as partes para sustentar o que tem sido um período muito prolongado de calma em toda a Linha Azul, mas também uma preocupação sobre algumas dessas questões que realmente têm sido marcantes por um longo período e que continuam a exigir atenção”.

A resolução 1701 pede por respeito à Linha Azul, o desarmamento de todas as milícias no Líbano e fim ao contrabando de armas na região. Embora a resolução tenha sido amplamente respeitada ao longo dos últimos seis anos, houve pouco progresso em direção a um previsto cessar-fogo permanente.

O Conselho saudou a iniciativa do presidente libanês, Michel Sleiman, de retomar o diálogo nacional com líderes políticos do país e declarações adotadas após as duas primeiras reuniões. Entretanto, o organismo expressou grave preocupação com incursões, sequestros, tráfico de armas entre Líbano e Síria e outras violações de fronteiras.