Conselho de Segurança da ONU condena ataque terrorista no Iêmen que matou 20 soldados

O Conselho reafirmou que todos os atos de terrorismo são criminosos e pediu que os países cooperem com as autoridades iemenitas para levar os responsáveis pelo ataque à justiça.

Presidente do Conselho de Segurança em março e representante permanente de Luxemburgo, Sylvie Lucas. Foto: ONU/Paulo Filgueiras

Conselho de Segurança das Nações Unidas condenou, nesta quarta-feira (26), o recente ataque em Hadramawt, no Iêmen, em que 20 soldados foram mortos, reafirmando que todos os atos de terrorismo são criminosos. O Conselho também pediu aos Estados-membros da ONU para cooperar com as autoridades iemenitas para levar os responsáveis pelo ataque à justiça.

“Os membros do Conselho de Segurança estendem suas condolências às famílias das vítimas e expressam sua solidariedade a todos os feridos e ao povo e o Governo do Iêmen ”, disse a presidente do Conselho de Segurança da ONU em março e representante permanente de Luxemburgo, Sylvie Lucas. O ataque em questão ocorreu no dia 24 de março.

As 15 nações que fazem parte do Conselho também reafirmaram que “o terrorismo em todas as suas formas e manifestações constitui uma das mais sérias ameaças à paz e à segurança internacionais, e que qualquer ato de terrorismo é criminoso e injustificável, independentemente da sua motivação, onde, quando e por quem tenha sido cometido”.

Reiterando a sua determinação em combater todas as formas de terrorismo, de acordo com as responsabilidades previstas nos termos da Carta das Nações Unidas, os membros do Conselho lembraram aos países que, de acordo com suas obrigações sob o direito internacional e as resoluções pertinentes do Conselho de Segurança, devem cooperar com as autoridades iemenitas para que autores, organizadores e patrocinadores desses atos possam ser levados à justiça.