Conselho de Segurança condena atentado terrorista no sudeste do Irã

O Conselho de Segurança das Nações Unidas condenou o ataque terrorista que deixou 27 mortos na quarta-feira (13) no Irã, na província de Sistão-Baluchistão. De acordo com relatos da mídia, um carro repleto de explosivos foi detonado por um homem-bomba ao lado de um ônibus que levava membros da Guarda Revolucionária Iraniana. O organismo da ONU descreveu o atentado como “hediondo e covarde”.

Bandeira do Irã vista na sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Foto: ONU/Loey Felipe

Bandeira do Irã vista na sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Foto: ONU/Loey Felipe

O Conselho de Segurança das Nações Unidas condenou o ataque terrorista que deixou 27 mortos na quarta-feira (13) no Irã, na província de Sistão-Baluchistão. De acordo com relatos da mídia, um carro repleto de explosivos foi detonado por um homem-bomba ao lado de um ônibus que levava membros da Guarda Revolucionária Iraniana. O organismo da ONU descreveu o atentado como “hediondo e covarde”.

Os Estados-membros do Conselho expressaram condolências ao governo e às famílias das 27 vítimas e desejaram “rápida e completa recuperação” aos outros 13 feridos no episódio. A província de Sistão-Baluchistão é localizada no sudeste iraniano e faz fronteira com o Paquistão.

“O terrorismo em todas as suas formas e manifestações constitui uma das mais sérias ameaças à paz e à segurança internacional”, reafirmou o organismo das Nações Unidas, destacando a necessidade de responsabilizar “autores, organizadores, financiadores e patrocinadores destes atos condenáveis de terrorismo” e levá-los à justiça.

Os países-membros também pediram que todos os Estados, de acordo com suas obrigações sob o direito internacional e resoluções relevantes do Conselho de Segurança, “cooperarem ativamente” com o governo do Irã e com todas as autoridades relevantes na sequência do ataque.

Ataques terroristas não são novos em Sistão-Baluchistão. Em 29 de janeiro, três membros de um esquadrão antibomba, enviados para investigar uma explosão na capital da província, Zahedan, foram feridos enquanto tentavam desarmar um segundo aparato explosivo, segundo a mídia. Em dezembro, duas pessoas morreram e outras 40 ficaram feridas na cidade portuária de Chabahar durante um ataque.

“Quaisquer atos de terrorismo são criminosos e injustificáveis, independentemente de motivação, lugar, data ou de quem quer que o tenha cometido”, reiteraram os membros do Conselho de Segurança.


Comente

comentários