Conselho de Segurança condena ataques terroristas na África Ocidental

Condenando os ataques terroristas ocorridos na África Ocidental, especialmente os promovidos pelo Boko Haram na bacia do Lago Chade, o Conselho de Segurança da ONU ressaltou na semana passada (20) a necessidade de enfrentar o terrorismo em todas as suas formas e combater as condições favoráveis à sua propagação.

Crianças afetadas pela violência frequentam escolas temporárias no campo de refugiados de Kabelewa. Deslocamento forçado na região de Diffa, a mais pobre do Níger, está se tornando regular e é resultado da ação do grupo armado Boko Haram. Foto: UNICEF / Sylvain Cherkaoui

Crianças afetadas pela violência frequentam escolas temporárias no campo de refugiados de Kabelewa. Deslocamento forçado na região de Diffa, a mais pobre do Níger, está se tornando regular e é resultado da ação do grupo armado Boko Haram. Foto: UNICEF / Sylvain Cherkaoui

Condenando os ataques terroristas ocorridos na África Ocidental, especialmente os promovidos pelo Boko Haram na bacia do Lago Chade, o Conselho de Segurança da ONU ressaltou na semana passada (20) a necessidade de enfrentar o terrorismo em todas as suas formas e combater as condições favoráveis à sua propagação.

“A esse respeito, pedimos à comunidade internacional que apoie imediatamente a prestação de assistência humanitária às pessoas mais afetadas pela crise no Camarões, no Chade, no Níger e na Nigéria, inclusive através do cumprimento do apelo da ONU para a área”, ressaltaram os 15 membros do Conselho em declaração.

O organismo pediu também aos governos da região que facilitem o acesso das organizações humanitárias e trabalhem com as Nações Unidas e parceiros para desenvolver ações viáveis para a entrega de ajuda.

Os membros ainda solicitaram aos países participantes da Força Tarefa Multinacional Conjunta que reforcem a cooperação e a coordenação militar regional; neguem refúgio a integrantes do Boko Haram; e facilitem o restabelecimento da segurança civil e do Estado de direito em áreas libertadas pelo grupo.

“Saudamos todos os esforços regionais e internacionais para mitigar o impacto das atividades do Boko Haram na segurança, nas ações humanitárias e no desenvolvimento. Os Estados-membros da ONU devem garantir que todas as medidas antiterrorismo estejam em conformidade com as obrigações do direito internacional, especialmente as leis internacionais de direitos humanos, humanitárias e de refugiados”, acrescentaram.

O Conselho ainda parabenizou a recente evolução política positiva em vários países da África Ocidental, nomeadamente a realização de eleições na Gâmbia, em Cabo Verde e no Gana, bem como os resultados dos diálogos políticos na Guiné.

Os membros ainda citaram as medidas tomadas para desenvolver e instituir reformas políticas, institucionais e constitucionais em Benin, Burkina Faso, Costa do Marfim, Libéria, Senegal e Serra Leoa.

Na declaração, o órgão lamentou o recente bombardeio contra o campo de refugiados em Rann, na Nigéria, que resultou na morte de vários civis, incluindo deslocados internos e agentes humanitários.