Conjunto arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, é candidato a Patrimônio Mundial da UNESCO

O dossiê de candidatura do Conjunto Moderno da Pampulha a Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) será apresentado, nesta sexta-feira (12), no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte (MG).

Igreja de São Francisco de Assis da Pampulha, em Belo Horizonte, faz parte do complexo arquitetônico de Niemeyer que vai se candidatar a patrimônio cultural da UNESCO. Foto: Fickr/Thomás

Igreja de São Francisco de Assis da Pampulha, em Belo Horizonte, faz parte do complexo arquitetônico de Niemeyer que vai se candidatar a patrimônio cultural da UNESCO. Foto: Fickr/Thomás

Nesta sexta-feira (12) será apresentado o dossiê de candidatura do Conjunto Moderno da Pampulha a Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). O anúncio oficial será no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte (MG).

Segundo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o Dossiê apresenta um levantamento completo sobre os aspectos relevantes do Conjunto da Pampulha, legitimando sua importância como patrimônio cultural moderno para o mundo.

Inaugurado em 1943 por Juscelino Kubistchek, então prefeito de Belo Horizonte, o conjunto arquitetônico e paisagístico de Oscar Niemeyer é formado pela Igreja de São Francisco de Assis, pela Casa de Baile, pelo Iate Tênis Clube, pelo Museu de Arte da Pampulha e pela Casa Kubistchek.

As formas curvas e as qualidades plásticas do concreto armado que compõem as construções da Pampulha representam a materialidade do modernismo, um momento histórico para a arte e a arquitetura no Brasil e no mundo.