“Conflitos agravam crise humanitária no Iêmen”, afirma ONU

A Subsecretária-Geral para Assuntos Humanitários e Coordenadora de Socorro de Emergência, Valèrie Amos, demonstrou nesta segunda-feira (28/03) preocupação com o agravamento da situação no Iêmen, onde a recente crise política já resultou em mais de 82 mortes e centenas de feridos.

A Subsecretária-Geral para Assuntos Humanitários e Coordenadora de Socorro de Emergência, Valèrie Amos, demonstrou nesta segunda-feira (28/03) preocupação com o agravamento da situação no Iêmen, onde a recente crise política já resultou em mais de 82 mortes e centenas de feridos. Ela disse estar especialmente preocupada com o país que, mesmo antes dos protestos, já enfrentava uma crise humanitária devido ao conflito na região norte.

“Os recentes combates afetaram, novamente, centenas de pessoas que ainda não se recuperaram do conflito anterior”, afirmou Amos, pedindo aos envolvidos que contenham os atos de violência para garantir a segurança aos civis. Ela observou ainda que algumas agências humanitárias estão tendo dificuldades em alcançar os necessitados devido à problemas de insegurança.

De acordo com o Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), o país enfrenta escassez de água e de alimentos. Cerca de 31,5% da população está em situação de insegurança alimentar.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, também demonstrou preocupação com a situação no Iêmen, onde foi declarado estado de emergência. Ban pediu um diálogo abrangente com a oposição política, grupos de jovens e outros indivíduos da sociedade civil para liderar reformas “corajosas” no país.