Conflito no Sudão do Sul agora alcança áreas consideradas estáveis no país, alerta ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Chefe da Missão da ONU no Sudão do Sul, David Shearer, disse nessa semana que o conflito em curso no país está afetando agora a segurança alimentar em alguns estados mais estáveis da nação mais jovem do mundo.

Milhares de sul-sudaneses fugiram de Leer enquanto os combates se intensificaram entre grupos rebeldes e forças do governo. Foto: UNICEF / Holt

Milhares de sul-sudaneses fugiram de Leer enquanto os combates se intensificaram entre grupos rebeldes e forças do governo. Foto: UNICEF / Holt

O chefe da Missão da ONU no Sudão do Sul (UNMISS), David Shearer, disse nessa quinta-feira (30) que o conflito em curso no país está afetando agora a segurança alimentar em alguns estados mais estáveis da nação.

“A diminuição das provisões que chegam às cidades e o aumento dos preços dos alimentos fizeram com que locais pacíficos como Aweil sofressem os efeitos dos conflitos que ocorrem em outras partes do país”, disse Shearer durante uma visita à região norte do país.

“É imperativo que a luta pare, para que os cidadãos da nação mais nova do mundo possam viver em paz e desfrutar dos benefícios da independência”, acrescentou.

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), 52% da população de Aweil está em situação de insegurança alimentar – com fome ou pouca comida disponível.

O governador de Aweil, Ronald Ruay Deng, disse a Shearer que seu governo estava fazendo todo o possível para “mover o povo da dependência da ajuda alimentar de emergência para um modelo de produção agrícola rural mais resiliente”.

Shearer também destacou os esforços em andamento para construir uma compreensão pacífica entre as comunidades, especialmente as comunidades pastorais que vêm do Sudão para compartilhar água e pastagem com os moradores de Aweil.

O Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA), por sua vez, começou a transferir na quarta-feira (29) a assistência alimentar para alcançar pessoas atingidas pela fome no Sudão do Sul. A ajuda está sendo prestada através de um novo corredor humanitário anunciado pelo governo do Sudão no início desta semana.

Nas próximas semanas, o PMA planeja entregar 11 mil toneladas de sorgo – incluindo mil toneladas doadas pelo governo do Sudão – em sete comboios de 30 a 40 caminhões. Os recursos são suficientes para alimentar 300 mil pessoas por três meses.


Mais notícias de:

Comente

comentários