Conflito entre governo e rebeldes desloca milhares de civis no Sudão do Sul

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Sudão do Sul enfrenta a crise de refugiados que mais cresce no mundo. Segundo um representante da ONU, milhares de civis estão fugindo para a vizinha Etiópia, à medida que tropas do governo avançam em direção a uma área rebelde na região do Alto Nilo.

Mulheres e crianças na fila para obter registro em Pagak, Alto Nilo, Sudão do Sul. Foto: UNICEF / Pires

Mulheres e crianças na fila para obter registro em Pagak, Alto Nilo, Sudão do Sul. Foto: UNICEF / Pires

O Sudão do Sul enfrenta a crise de refugiados que mais cresce no mundo. Segundo um representante de alto escalão da ONU, milhares de civis estão fugindo para a vizinha Etiópia, à medida que tropas do governo avançam em direção a uma fortaleza rebelde, na região do Alto Nilo.

Relatórios da Organização Internacional para as Migrações (OIM) sugerem que as forças governamentais estão agora se aproximando da cidade de Maiwut, a 25 km a noroeste de Pagak. “Estou gravemente preocupado com essa situação”, disse o chefe da Missão da ONU no Sudão do Sul (UNMISS), David Shearer, nesta quarta (12), a repórteres em Juba, capital do país.

Ele acrescentou que, embora não esteja claro qual lado começou o conflito, o avanço militar pelas forças do Sudão do Sul “não está no espírito do cessar-fogo unilateral”, declarado pelo governo em maio.

Shearer afirmou que, na última semana, houve “envolvimento militar ativo” ao norte de Pagak, e pelo menos 25 trabalhadores humanitários foram relocados para a área como resultado da insegurança.

O funcionário das Nações Unidas também expressou grande preocupação com um orfanato próximo à cidade de Torit, ao sul de Juba, cercado por combatentes rebeldes e do governo que estão se preparando para lutar.

“É inaceitável que 250 crianças inocentes, e as pessoas que cuidam delas, encontram-se em uma terra de ninguém entre forças em confronto”, ressaltou o chefe da missão da ONU.

Pedidos feitos pela missão para acessar o orfanato “Esperança para o Sudão do Sul” foram negados. No entanto, a central de comando das tropas governamentais em Juba enviou, nesta terça (11), a aprovação para enviar as forças de paz ao orfanato. “Tenho esperança de que isso aconteça hoje”, acrescentou. Além disso, um grupo de integrantes nepaleses das forças de paz da ONU foi enviado para proteger a base da ONU em Torit.

“O número de patrulhas que podemos levar à cidade aumentará com as forças de paz adicionais. Por sua vez, isso deve fornecer mais segurança e aumentar a confiança”, disse Shearer, observando que o vice-chefe da missão, Moustapha Soumaré, irá para Torit nesta quinta (13) para relatar a situação.


Mais notícias de:

Comente

comentários