Conferência da ONU discute formas de melhorar educação e emprego de pessoas com deficiência

Segundo a Organização, mais de um bilhão de pessoas no mundo possuem algum tipo de deficiência e, por causa da falta de acesso à educação e emprego, correm grande risco de viver na pobreza.

Criança aprende a linguagem dos sinais em Madagascar. Foto: UNICEF/Dia Styvanley

Cerca de 80% dos mais de um bilhão de pessoas com deficiência no mundo estão em idade de trabalhar e enfrentam desafios físicos e sociais para conseguir qualificação e emprego, afirmou a ONU. Para encontrar formas de melhorar o padrão de vida e emprego das pessoas com deficiência, os Estados-Membros estão reunidos a partir desta quarta-feira (17) na sede da ONU, em Nova York, Estados Unidos, para a VI Conferência dos Estados-Parte da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

De acordo com informações divulgadas na reunião, as pessoas com deficiência enfrentam risco maior de viver na pobreza do que as pessoas sem deficiência, tanto nos países desenvolvidos quanto naqueles em desenvolvimento.

A Conferência, que vai até 19 de julho, é o maior encontro internacional sobre questões de deficiência e é realizada anualmente para facilitar a troca de experiências e ideias para a implementação da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, aprovada em dezembro de 2006 e em vigor desde 2008.

O tratado obriga os países a assegurarem os direitos humanos a todas as pessoas com deficiência. Ele reconhece que todos são iguais perante a lei e devem ter o mesmo acesso à educação, saúde, trabalho, condições de vida adequadas e liberdade de circulação.

“Quando se trata de pessoas com deficiência, a inclusão significa que temos de fazer tudo ao nosso alcance para garantir que elas tenham as mesmas oportunidades de sucesso como todo mundo”, disse o embaixador do Quênia e presidente da Conferência, Macharia Kamau.

A Conferência acontece dois meses antes da Reunião de Alto Nível da Assembleia Geral sobre a Deficiência e o Desenvolvimento  do dia 23 de setembro, que terá como tema “O caminho a seguir: uma agenda de desenvolvimento inclusiva para 2015 e além”.