Conferência da ONU: compromisso de 1,9 bilhão de dólares para salvar os pequenos estados insulares

A Conferência proporcionou um “legado com impacto” segundo o primeiro-ministro de Samoa, com um total de 297 parcerias entre governos, setor privado, sociedade civil e ONU.

Samoa, nação organizadora da Conferência, sofreu com um terremoto em 2009 seguido de um tsunami. Foto: Wikipedia (Creative Commons)

Samoa, nação organizadora da Conferência, sofreu com um terremoto em 2009 seguido de um tsunami. Foto: Wikipedia (Creative Commons)

Com um compromisso de 1,9 bilhão de dólares em parceria para o desenvolvimento sustentável, as Nações Unidas concluíram nesta quinta-feira (04) a conferência sobre pequenos estados insulares em desenvolvimento e deram início ao plano de ação sobre as mudanças climáticas.

Descrevendo o fato como “extraordinário”, o secretário-geral da terceira Conferência Internacional sobre os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, Wu Hongbo, confirmou que 297 parcerias entre governos, setor privado, sociedade civil e entidades das Nações Unidas foram anunciadas durante os quatro dias de evento. “Sem dúvida, estas parcerias deixam um legado com impacto”, disse Wu, quem assegurou que o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais (DESA), que ele lidera, terá a responsabilidade de informar sobre o progresso dos compromissos para fazer com que os participantes prestem contas.

As parcerias foram estabelecidas nas áreas de desenvolvimento econômico sustentável, mudança climática e gestão de riscos e desastres, desenvolvimento social, energia sustentável, saúde dos oceanos, água e saneamento, segurança alimentar e gestão de lixo; em linha com o documento final da Conferência, apelidado como Caminho de Samoa (Samoa Pathway), que foi endorsado por unanimidade.

“O momento de discursos acabou”, disse o primeiro-ministro de Samoa, Tuilaepa Lupesoliai Sailele Malielegaoi “Devemos agora navegar com determinação para a linha de ação que traçamos aqui para alcançar as nossas prioridades”. A mudança do clima está profundamente ancorada a história de Samoa, que em 2009 sofreu um terremoto seguido de um tsunami.

Segundo o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o final da conferência inicia a contagem regressiva para a Cúpula do Clima, convocada para o dia 23 de setembro na sede da ONU em Nova York que reunirá líderes de todo o mundo para mostrar ações positivas para mitigar os efeitos da mudança climática.