Compra conjunta pelo Mercosul propicia remédios a preços mais acessíveis, comemora OPAS/OMS

Um dos medicamentos adquiridos através da compra coletiva foi o Daruvanir, usado no tratamento de HIV/aids. Foto: Portal do governo da Bahia

Ministros da Saúde do Mercosul e países associados negociaram a compra conjunta de medicamentos de alto custo na última sexta-feira (13) em Assunção, no Paraguai. A iniciativa foi apoiada pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

Um dos medicamentos comprados foi o Daruvanir, usado no tratamento de HIV/aids. Antes, o comprimido custava 2,98 dólares, passando a 1,27 dólares com o acordo unificado, o que resultará em uma economia de quase 20 milhões de dólares para os países participantes. Além disso, esse preço estará disponível para qualquer Estado-mebro da OPAS que participa do Fundo Estratégico.

Também estão disponíveis a preços mais acessíveis os antivirais para tratar da hepatite C. Os ministérios pretendem chegar a um consenso sobre as melhores formas de comprar outros medicamentos que combatam a hepatite C.

“Este é um exemplo claro da colaboração Sul-Sul para a saúde universal. Os países e a indústria farmacêutica têm trabalhado arduamente em conjunto para alcançar este acordo e facilitar o acesso a medicamentos muito necessários. É um primeiro passo, que mostra a possibilidade de uma colaboração mais ampla no futuro”, afirmou o diretor do Departamento de Sistemas e Serviços de Saúde da OPAS, James Fitzgerald.

Em segunda etapa da negociação, os países do bloco e seus Estados Associados negociarão a compra de mais oito medicamentos de alto custo, incluindo os de combate ao câncer.