Comissão da ONU pede medidas para garantir independência financeira aos mais pobres

Relatório das Nações Unidas mostra que enquanto 600 milhões de pessoas superaram a pobreza desde 1990, 1 bilhão ainda lutarão para sair dela em 2015.

A Comissão das Nações Unidas sobre Desenvolvimento social iniciou nesta quarta-feira (6) uma reunião de dez dias em Nova York, nos Estados Unidos, com um pedido para dar aos mais pobres e populações mais vulneráveis as ferramentas necessárias para que eles saiam da pobreza.

“O empoderamento é fundamental para a erradicação da pobreza e para o desenvolvimento”, disse o Subsecretário-Geral para Assuntos Econômicos e Sociais, Wu Hongbo. “Na verdade, eu diria mesmo que qualquer solução a longo prazo para a pobreza deve começar com o empoderamento.”

Enquanto 600 milhões de pessoas superaram a pobreza desde 1990, 1 bilhão ainda lutarão para sair dela em 2015, indica relatório do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, lançado em novembro passado. O prazo para atingir as metas de combate à pobreza, conhecidas como os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (), vai até 2015.

Segundo o relatório “Promover o empoderamento das pessoas para alcançar a erradicação da pobreza, integração social e pleno emprego e trabalho decente para todos”, quase 80% da população do mundo está sem acesso adequado à proteção social, deixando para aqueles que vivem na pobreza um sentimento impotente para melhorar a sua posição.

A crise econômica e as altas nos preços dos combustíveis têm diminuído a redução da pobreza e aumentado as taxas de desemprego, que também levam à instabilidade social, de acordo com o documento. Mundialmente, 621 milhões de jovens não estão empregados nem procurando emprego nem estudando ou em treinamento.

“Estas não são meras estatísticas, mas são vidas afetadas além de oportunidades e meios de subsistência perdidos”, disse Hongbo.

Para ler o relatório em inglês, clique aqui.