Comércio pode ajudar a impulsionar competitividade brasileira, diz diretor-geral da OMC

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, o brasileiro Roberto Azevêdo, discutiu durante visita ao Brasil iniciada na semana passada (23) formas de o comércio internacional e a própria OMC ajudarem o país a ampliar sua competitividade.

“O Brasil é um membro muito ativo na OMC em todas as nossas atividades, do trabalho diário ao monitoramento, aos acordos para disputas assim como em nossas negociações. Olhando adiante, não tenho dúvida de que o comércio e a OMC continuarão a ter importante papel em ajudar o país a impulsionar sua competitividade”, declarou.

Diretor-geral da OMC durante evento da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em Brasília. Foto: CNI/Miguel Ângelo

Diretor-geral da OMC durante evento da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em Brasília. Foto: CNI/Miguel Ângelo

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, o brasileiro Roberto Azevêdo, discutiu durante visita ao Brasil iniciada na semana passada (23) formas de o comércio internacional e a própria OMC ajudarem o país a ampliar sua competitividade.

“O Brasil é um membro muito ativo na OMC em todas as nossas atividades, do trabalho diário ao monitoramento, aos acordos para disputas assim como em nossas negociações. Olhando adiante, não tenho dúvida de que o comércio e a OMC continuarão a ter importante papel em ajudar o país a impulsionar sua competitividade”, declarou.

Em Brasília, a agenda do diretor-geral incluiu reuniões com o presidente Michel Temer, assim como com ministros e outras autoridades. Durante sua visita à capital brasileira, Azevêdo fez uma apresentação à Comissão de Relações Exteriores do Senado e discursou na Confederação Nacional da Indústria (CNI).

“As últimas conquistas da OMC, como o Acordo sobre Facilitação de Comércio e a eliminação dos subsídios às exportações agrícolas, trazem significativos benefícios ao país. Essas decisões ajudam a reduzir custos do comércio e apoiam as empresas brasileiras rumo a uma maior integração nos fluxos de comércio mundial.”

“Estamos trabalhando para tomar mais passos na OMC que possam ajudar a criar novas oportunidades para crescimento, desenvolvimento e criação de empregos no Brasil. Eu elogio o contínuo engajamento do Brasil na OMC, ajudando a avançar nas conversas entre os membros”, completou.

O diretor-geral da OMC também elogiou o anúncio recente do Brasil de que pedirá para se unir ao Acordo de Compras Públicas como observador, depois da recente aprovação pela Câmara de Comércio Exterior do governo brasileiro.

“O interesse do Brasil em se unir ao Acordo de Compras Públicas como observador mostra seu desejo de seguir de perto as discussões globais sobre as melhores práticas em compras governamentais”, disse.

O diretor-geral da OMC também visitou São Paulo, onde se reuniu com o governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Dória.