Começa remoção de agentes químicos da Síria para destruição em águas internacionais, dizem OPAQ-ONU

Navio comercial é escoltado por Dinamarca, Noruega e Síria. Material será levado até embarcação norte-americana para eliminação por hidrólise. Segurança marítima da operação envolve ainda China e Rússia.

Coordenadora especial da missão conjunta da OPAQ e da ONU para o programa de eliminação das armas químicas sírias, Sigrid Kaag. Foto: ONU/Paulo Filgueiras

Começou nesta terça-feira (7) o processo de remoção do território sírio dos agentes químicos mais necessários para a produção de armas. Eles serão destruídos em águas internacionais, confirmou a chefe da missão conjunta da Organização para Proibição de Armas Químicas (OPAQ) e das Nações Unidas, Sigrid Kaag.

“Uma primeira quantidade de materiais químicos prioritários foi movida de dois lugares para o porto de Latakia para verificação e foi, em seguida, carregada em um navio comercial dinamarquês”, declarou Kaag.

Acompanhado por escolta naval da Dinamarca, Noruega e Síria, o navio já partiu para águas internacionais, onde permanecerá “aguardando a chegada de outros materiais químicos prioritários no porto”, acrescentou.

A remoção dos agentes químicos do país envolve o transporte de Latakia por navios comerciais fornecidos por alguns Estados-membros até uma embarcação dos Estados Unidos, onde serão destruídos por hidrólise. A segurança marítima da operação é feita pela China, Dinamarca, Noruega e Rússia.

O prazo final para o transporte e a destruição das armas químicas sírias era 30 de junho deste ano. A missão informou em dezembro, porém, que não será cumprido por dificuldades técnicas.