Começa nova rodada de negociações para alcançar acordo político na Líbia

“A Líbia está indo em direção a um caos profundo”, alertou o chefe da Missão da ONU na Líbia. “Como se não bastassem os problemas na política e na segurança, agora temos também um grave problema econômico e financeiro”, ressaltou.

ONU também está preocupada com os atentados contra os direitos humanos, decapitações de ativistas e do recente fechamento da instituição nacional de direitos humanos da Líbia. Foto: UNSMIL/Iason Athanasiadis

ONU também está preocupada com os atentados contra os direitos humanos, decapitações de ativistas e do recente fechamento da instituição nacional de direitos humanos da Líbia. Foto: UNSMIL/Iason Athanasiadis

O representante especial do secretário-geral da ONU e chefe da Missão da ONU na Líbia (UNSMIL), Bernardino Léon, abriu nesta quarta-feira (14) uma nova rodada de negociações para resolver as diferenças políticas entre as partes no país.

Conduzido pelas Nações Unidas, o diálogo visa pôr fim à luta e chegar a um acordo político, incluindo a criação de um novo governo nacional que represente todos os líbios.

Na abertura do encontro, que acontece em Genebra, Léon ressaltou que o processo para atingir o acordo será longo, levando em conta o contexto cada vez mais complicado e com lacunas cada vez maiores. A crescente inquietação política e de segurança no país, incluindo a formação de governos e instituições paralelos, além de novos confrontos e o aumento da atividade terrorista, dificultam o diálogo.

“A Líbia está indo em direção a um caos profundo”, alertou Léon. “Como se não bastassem os problemas na política e na segurança, agora temos também um grave problema econômico e financeiro”, ressaltou. “Tudo o que está afetando a Líbia afeta toda a região”, concluiu.

Após a primeira rodada de negociações em outubro do ano passado, Léon realizou uma série de consultas e viajou por todo o país para se reunir com diversos atores em um processo que culminou neste novo encontro entre as partes.