Com o tema ‘rins saudáveis’, OPAS organiza seminário virtual sobre doença renal crônica na América Latina

No Dia Mundial do Rim, a OPAS/OMS e a Sociedade Latinoamericana de Nefrologia e Hipertensão realizam nesta quarta-feira (12) às 12 horas (11 horas de Washington, DC) um seminário virtual e discutirão a situação da Doença Renal Crônica na América Latina e Caribe.

Com o tema 'rins saudáveis', OPAS organiza seminário virtual sobre doença renal crônica na América Latina

No Dia Mundial do Rim, celebrado todos os anos em 12 de março, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) destaca os problemas relacionados à doença renal crônica, atualmente uma questão de saúde pública mundial. A agência da ONU alerta que se não for evitado ou controlado, o aumento progressivo da doença pode comprometer a qualidade da vida de seus portadores e familiares, além de onerar significativamente os custos do sistema de saúde.

Com o tema “Rins saudáveis”, a OPAS lança um alerta à população e incentiva a adoção de hábitos saudáveis, ingestão de água, mudança de estilo de vida e autocuidado das doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e obesidade.

Para a ocasião, a OPAS/OMS e a Sociedade Latinoamericana de Nefrologia e Hipertensão realizam nesta quarta-feira (12) às 12 horas (11 hora de Washington, DC), um seminário virtual e discutirão a situação da Doença Renal Crônica na América Latina e Caribe.

A doença renal crônica afeta todos os aspectos da saúde das pessoas: física, com aumento da carga de doença cardiovascular, morbidade e mortalidade, social, com baixa qualidade de vida, perdas de produtividade e emprego e psicológica, através de pressões familiares e transtornos mentais.

O seu desenvolvimento pode culminar na doença renal crônica terminal (DRCT), um desfecho de saúde grave e de alto custo econômico e social, pois exige terapia renal substitutiva na forma de diálise ou transplante para a manutenção da vida. Em países desenvolvidos, a DRCT é um dos grandes responsáveis pelos custos dos sistemas de saúde, com crescimento anual nos programas de diálise oscilando entre 6% e 12% nas duas últimas décadas, e continuando a crescer, especialmente em países em desenvolvimento.

Para acompanhar a transmissão do seminário em inglês, clique aqui, e em espanhol, aqui.