Com mais duas mortes, UNESCO manifesta preocupação com a segurança de jornalistas no Afeganistão

Diretora-geral da agência da ONU pediu que as autoridades não poupem esforços para melhorar a segurança dos profissionais de mídia no país.

Jornalistas afegãs em ação. Foto: UNAMA/Jawad Jalali

Jornalistas afegãs em ação. Foto: UNAMA/Jawad Jalali

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, expressou preocupação nesta quinta-feira (13) pela segurança dos profissionais de mídia no Afeganistão, onde dois jornalistas foram mortos recentemente.

“Peço às autoridades que não poupem esforços em melhorar a segurança dos jornalistas. Seu trabalho é indispensável para abrir o debate, a reconciliação e a reconstrução”, afirmou Bokova, condenando a morte de Noor Ahmad Noori e Ahmad Shahid.

Os dois casos são os primeiros a chamar a atenção da diretora-geral desde 2011.

Noori trabalhava para a rádio local ‘Bost’ e teve o corpo encontrado com sinais de tortura na província de Helmand em 23 de janeiro, enquanto Shahid foi morto na explosão de uma bomba em Cabul, no dia 26 de janeiro, a caminho do trabalho na rádio Nawa e no canal de televisão Saba.